10 pessoas são presas por latrocínio e estelionato em Teresina imprimir publicado em: 26 / 09 / 2018

cidadePelo menos 10 pessoas foram presas nesta quarta-feira (26) em Teresina acusadas de crimes de roubos, latrocínios e estelionato. Tratam-se dos alvos das operações Midas e Rubro, que foram deflagradas pela Polícia Civil para cumprir mandados de busca e apreensão e mandados de prisão não só na Capital, mas também em cidades do interior do Piauí por crimes contra o patrimônio.

A Operação Midas acontece simultaneamente em vários estados brasileiros e se dedica exclusivamente a cumprir mandados de prisão expedidos contra acusados de roubos e latrocínios, ou seja, crimes contra o patrimônio praticados com violência ou grave ameaça e resultados em morte. Dos 10 presos no Piauí, quatro eram alvos desta ação.

Já a Operação Rubro, que acontece paralelamente à Midas, foi deflagrada somente no Piauí para desarticular uma organização criminosa interestadual especializada em estelionato praticado contra vítimas de furto e roubo de celulares, por meio da captura de senhas e logins de acesso a contas vinculadas a empresas. Dos 10 presos, seis eram alvos da Operação Rubro.

Segundo o delegado Lucci Keyko, gerente de policiamento metropolitano, dois dos homens que foram detidos por roubo na Operação Midas estavam foragidos da Justiça. “Eles foram condenados a cinco anos de prisão e agora retornaram ao sistema prisional”, pontuou o delegado.

Para conseguir efetuar as prisões, os policiais envolvidos nas ações fecharam parcialmente o Shopping da Cidade, na Avenida Maranhão. A polícia recebeu informações de que teriam alguns boxes comercializando produtos roubados e as diligências no local aconteceram para averiguar esta denúncia.

De acordo com o Capitão Monteiro, da Guarda Municipal de Teresina, só em setembro, cerca de 60 celulares roubados foram apreendidos na região da Praça da Bandeira, Centro da Capital. ” A recomendação é que após fazer o B.O, a população compareça a Delegacia Geral com os documentos em mãos. Estamos sempre reforçando essas operações para tentar diminuir os índices e coibir essa receptação e venda dos aparelhos”, completa.

portalodia.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas