Acusados de matar pai de juiz serão julgados em até 60 dias imprimir publicado em: 09 / 09 / 2018

Severino Liima da Silva

Severino Lima da Silva

O julgamento dos acusados do latrocínio do pai de um juiz federal no Maranhão ocorrerá ainda este ano. O aposentado Severino Lima da Silva, 77 anos, tocava flauta na porta de casa quando foi surpreendido pelos assaltantes. Um acusados confessou que atirou porque confundiu o instrumento musical com uma arma de fogo.

“Eu pensei que ele [vítima] ia puxar uma coisa e atirei. Ele tava tocando flauta […] queria levar celular e dinheiro. Ele não reagiu, mas pensei que ia reagir e atirei. Atirei sem razão. Pensei que ele ia puxar alguma coisa para atirar em mim. Quando ele puxou a flauta, atirei. Pensei que ele ia puxar outra coisa”, confessou Mateus Mendes da Silva, dias após ser preso.

O crime ocorreu em setembro de 2017, no bairro Bela Vista, zona Sul de Teresina. O caso gerou grande comoção e revolta.

“Concluímos a fase de instrução. Foi aberta uma fase de diligência que já passou, inclusive pelo MP, a defesa também tem esse direito de requerer  alguma diligência se entender necessária. Em seguida, vai para a fase das alegações finais e depois o julgamento. Com certeza, ainda este ano, teremos uma sentença de mérito da ação desse latrocínio”, explica promotor de Justiça Antônio Rodrigues de Moura.

O réu Mateus Mendes da Silva [apontado como o atirador] foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de roubo qualificado contra um colega de escola e pelo latrocínio do aposentado. Já o acusado Paulo César foi denunciado apenas pelo latrocínio porque teria emprestado a moto e a arma usados no crime. Há ainda um adolescente que não será julgado neste processo por ser menor de idade.

“O Paulo não foi preso em flagrante, está em liberdade, mas responde também por latrocínio. O crime é o mesmo, o que vai mudar é na hora da dosimetria da pena que ele pode pegar uma menor que a do atirador”, explica o representante do Ministério Público que informou ainda que a sentença será anunciada no prazo de até 60 dias.

O caso julgado pelo Carlos Hamilton Bezerra Lima, titular da 1ª Vara Criminal de Teresina.

Cidadeverde.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas