Agentes em greve não recebem presos e Central fica superlotada imprimir publicado em: 13 / 09 / 2017

central de flagrantesA Central de Flagrantes de Teresina já está superlotada, com 67 presos de acordo com o Sindicato dos Delegados do Piauí (Sindepol), por conta da greve dos agentes penitenciários desde segunda-feira (11) no Piauí. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sinpoljuspi), que se reúne nesta quarta-feira (13) diante da Casa de Custódia de Teresina, o recebimento de presos está entre os serviços paralisados.

Cássio Castro, diretor financeiro do sindicato, informou que apenas 5% dos trabalhos estão funcionando normalmente. “Mas não estamos fazendo o recebimento de presos, nem a triagem”, declarou.

O comando de greve está circulando pelos presídios de Teresina e montando grupos na entrada das penitenciárias para impedir que novos presos sejam recebidos. Contudo, uma decisão do Tribunal de Justiça do Piauí já determinou que os agentes recebam os detentos. A Secretaria de Justiça foi procurada sobre a situação, mas ainda não se pronunciou.

“Os agentes estão dificultando o recebimento e há quase 60 presos na Central, que deveria ter apenas 25. Mas temos uma decisão judicial, nos reunimos com o juiz Luis Moura e o presidente do TJ, Erivan Lopes. O presidente orientou para que a decisão seja cumprida. Todos aqueles com prisão preventiva decretada devem ser colocados no sistema e nós vamos programar o encaminhamento dos presos, mesmo com a greve”, declarou o delegado geral de polícia civil, Riedel Batista.

greve

A presidente do Sindepol, delegada Andrea Magalhães, lamentou a situação e pediu soluções. “Pedimos que o governador se reúna com a gente para discutirmos soluções, porque não temos onde colocar mais presos. Além disso, ali não há qualquer garantia de direitos humanos. A situação é de completo caos. Não somos contra o movimento grevista dos agentes, porque sabemos que para eles também está ruim, mas precisamos resolver esses problemas”, declarou a delegada.

Em apoio aos agentes em greve estão os convocados no último concurso da Secretaria de Justiça. Eles estão junto dos trabalhadores diante da Casa de Custódia de Teresina e afirmam que a secretaria está seguindo o cronograma do edital, mas foram ao presídio reforçar a importância e a necessidade do início do curso de formação de agentes.

A greve teve início, segundo a categoria, após descumprimento de acordo coletivo firmado no Tribunal de Justiça.

“É um total desrespeito do governo do estado, que não quer dialogar com a categoria e não cumpriu o reajuste de 60% em três anos. Queremos o pagamento da insalubridade, reajustes no auxílio alimentação e subsídio”, declarou o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), José Roberto.

Ainda de acordo com o sindicato, a categoria também reivindica melhores condições de trabalho e contratações de novos agentes já aprovados em concurso realizado pela Secretaria de Justiça. A categoria reclama de sobrecarga de trabalho, já que o sistema prisional conta atualmente com 4.600 presos.

custodia

Convocados em concurso apoiam greve dos agentes (Foto: Gilcilene Araújo/G1)

Em resposta, o secretário de Justiça Daniel Oliveira lembrou da situação financeira do estado e das dificuldades para manter a folha em dia. Ele destacou que os servidores já tiveram um reajuste de 6% este ano e que já entrou, através da Procuradoria Geral do Estado (PGE), com o pedido de decretação da ilegalidade da greve.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas