Agespisa garante em audiência no MP entregar adutora na Zona Norte imprimir publicado em: 09 / 12 / 2016

audienciaA Águas e Esgotos do Piauí S/A (Agespisa), empresa responsável pelo abastecimentos de água no estado, garantiu durante audiência pública nesta sexta-feira (9) que irá entregar até o final deste ano obras para regularizar o abastecimento no Residencial Jacinta Andrade, Zona Norte de Teresina. O encontro reuniu moradores que se sentem prejudicados com a situação e ainda membros do Ministério Público Estadual.

No residencial está sendo perfurado mais um poço para garantir cerca de 30 mil litros de água por hora e um reservatório para 800 mil litros. “Esse encontro foi importante porque a empresa responsável pelo reservatório se comprometeu a assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para a conclusão até o dia 30 de dezembro”, disse o promotor Nivaldo Ribeiro.

 O diretor técnico da Agespisa, Joaquim Rodrigo de Carvalho, explicou que será concluída a construção de um reservatório para a melhoria na distribuição de água. “A previsão, como o construtor afirmou e já tínhamos previsto, é para entregar o reservatório até o final deste mês e imediatamente será interligado ao sistema, o que melhorará a distribuição”, disse.

Joaquim Rodrigo comentou ainda que há uma adutora em construção. “Estamos com projeto em fase de execução de uma adutora de água tratada direcionada do reservatório do Parque Brasil até o Jacinta Andrade, o que duplicará a disponibilidade de água para aquela região”, falou.

Para o vice-presidente da Associação de Moradores do Jacinta Andrade, Domingos Alves, promessas não cumpridas criam desconfiança. “Há promessas desde o mês de agosto e não tem como a gente confiar que vão entregar até o dia 30. Vamos esperar, mas não dá para confiar”, disse Domingos Alves.

A líder comunitária Anísia Teixeira a audiência pública em si já foi positiva para os moradores. “Vamos discutir depois uma ação indenizatória por reparação a um fornecimento que está sendo cobrado e não é cumprido”, afirmou a líder comunitária.

As constantes reclamações por falta de água na capital já haviam feito com que o Ministério Público Estadual, por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (Procon), recomendasse no mês passado, que a Agespisa cobrasse apenas a taxa mínima até a regularização dos serviços.

O Procon recomendou ainda que os consumidores cujos talões estejam chegando com valores muito altos, que procurem o órgão.

As recomendações só valem para as áreas que vêm sofrendo com a falta de água, com isso é importante que o consumidor leve o problema ao conhecimento do órgão. Os bairros que estão com esse problema são os que vão pagar a taxa mínima.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas