Água Branca: PF é acionada para investigar falsa pesquisa imprimir publicado em: 13 / 09 / 2016

PFA Polícia Federal e a Justiça Eleitoral serão acionadas para investigar a divulgação de uma falsa pesquisa eleitoral, sem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e sem as demais exigências obrigatórias, distribuída nas ruas de Água Branca nos últimos dias. O folheto com a pesquisa falsa está sendo jogado debaixo das portas dos moradores, durante a madrugada.

A pesquisa está sendo distribuída em uma folha de papel comum, sem o registro do TSE, sem o nome do Instituto de Pesquisa, nem margem de erro, sem data de realização e sem o nível de segurança. Todos os dados são obrigatórios, de acordo com a Lei Eleitoral.

A falsa pesquisa destoa totalmente das pesquisas registradas no TSE e divulgadas até aqui. Enquanto outras pesquisas, já devidamente registradas e legais que foram divulgadas dão ampla vantagem para Jonas Moura, a pesquisa sem registro e divulgada anonimamente apresenta vantagem para a candidata Margareth Pimentel.

Os advogados da coligação “Água Branca nas mãos do povo”, assim que tomaram conhecimento da falsa pesquisa, já começaram a trabalhar para acionar o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal para investigação do caso. Segundo Welder de Sousa Melo, advogado da Coligação “Água Branca nas mãos do povo”, “A Polícia Federal deve investigar o caso para identificar a autoria do crime e punir os responsáveis”, pontuou.

A divulgação de pesquisa fraudulenta, segundo o artigo 33 da Lei das Eleições, sujeita os responsáveis à multa que pode ir de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00. Além da multa, o crime também é punível com detenção de seis meses a um ano.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas