Apesar da crise, Piauí avança seis posições no Ranking de Competitividade imprimir publicado em: 25 / 04 / 2016

O Estado do Piauí subiu seis posições no Ranking de Competitividade entre os estados brasileiros, pelo qual são analisados diferentes pilares essenciais para o desenvolvimento do país nos 26 estados e Distrito Federal. Em 2011, quando o ranking começou a ser analisado, o Piauí ocupava a última posição (27ª). Agora, está em 21º lugar.

O ranking foi preparado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) e Economist Intelligence Unit e passou a ser realizado em parceria com a Tendência Consultoria, a partir da edição 2015, quando foi preparada uma extensa análise metodológica e ampliação dos indicadores contemplados. Para elaborar a ranking, são avaliados os pilares capital humano, educação, eficiência pública, eficiência da máquina pública, infraestrutura, inovação, potencial de mercado, segurança pública, social, solidez fiscal, sustentabilidade e sustentabilidade Ambiental.

O diretor-presidente da Piauí Fomento, Cézar Fortes, ressalta a importância do crescimento do Estado. “O Piauí está à frente do Acre, Pará, Amapá, Rio Grande do Norte, Sergipe, e Alagoas. Ultrapassamos seis estados, e isso mostra que estamos no caminho certo, e ainda temos muito no que avançar. Nós avançamos seis estados no espaço de poucos anos”, afirmou o diretor.

Segundo os dados do ranking, entre todos os estados do Nordeste, apenas o Ceará e a Paraíba se mantiveram estáveis durante três anos de avaliação, permanecendo sempre em 15° e 18º lugar. Em comparação com 2011, subiram os estados do Piauí, do Rio Grande do Norte e de Alagoas. No mesmo período, caíram de posição os estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco e Sergipe. As quedas mais acentuadas do grupo foram a da Bahia, passando de 9º para 13º lugar, e do Maranhão, indo da 22ª para a 26ª posição.

Pilares

Dentre os 10 pilares analisados no Ranking, o Piauí se destacou na infraestrutura – um conjunto de elementos que suportam uma estrutura de construção civil – e no potencial de mercado. “Nessa pesquisa, em relação às estradas, em termo de infraestrutura, nós estamos numa situação melhor em relação ao Brasil, estamos muito bem. O Piauí passou da a 27ª e última posição, em 2011, para o 21º lugar, este ano Presídios em relação às estradas, e esse é um lado que vai contrário ao que a gente vê constantemente na mídia. Outro ponto que nos destacamos claramente em relação à média brasileira é no potencial de mercado”, disse Fortes.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas