Arranjos Produtivos aumentam a renda de piscicultores do Piauí imprimir publicado em: 27 / 07 / 2016

psiculturaDesenvolvido com o objetivo de apoiar projetos produtivos, cuja produção de bens e serviços esteja conectada à potencialidade e habilidades humanas locais, os Arranjos Produtivos Locais (APLs) vêm gerando emprego e renda à população de baixo faturamento, fortalecendo, desta forma, atividades econômicas priorizadas pelo Estado.

Entre as diversas associações contempladas pelos APLs, está a Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Passagem do Meio, de Campo Maior (PI), que trabalha no projeto de piscicultura. Os associados foram beneficiados pelo II Edital dos Arranjos Produtivos Locais com 65 tanques rede, 1 canoa e 1 freezer. Hoje, a associação acumula em cada rede praticamente 300 a 400 peixes de 800g a 1kg, e possui 19 sócios.

“Antes de sermos contemplados, era uma dificuldade imensa vivermos da pesca, pois não tínhamos condições financeiras, nem mesmo para comprar uma rede apropriada para o trabalho. Hoje não sabemos nem como agradecer, pois não tem explicação do quanto esse projeto cresceu e de como ele está beneficiando toda a associação e nossas famílias”, disse Antônio Carlos, um dos membros da associação.

Para a superintendente de Desenvolvimento Econômico da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedet), Olga Sousa, o desenvolvimento das associações locais, além de incentivar a produção, gera renda nas regiões em que o projeto está sendo executado. “As ações implementadas visam não só ao desenvolvimento econômico como também o social, baseado na melhoria da qualidade de vida dos associados e de suas famílias”, pontuou Olga.

produtores de peixesOs Arranjos Produtivos Locais

Os APLs são coordenado pela Sedet, que conduz o projeto por meio do apoio financeiro às associações e cooperativas que não tenham capacidade de endividamento, no estado do Piauí. O II Edital do programa está beneficiando aproximadamente 416 famílias no Piauí, com ações nas áreas de apicultura , piscicultura , ovinocaprinocultura, extrativismo de carnaúba e cajucultura. Ao todo, são investidos R$ 2 milhões  em projetos, executados em 11 municípios do Piauí. O valor é oriundo do Governo do Estado, por meio do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Biocentro

últimas