Bala se revolta após dirigente chamar Altos de time pequeno imprimir publicado em: 12 / 08 / 2016

Carlinhos Bala

Carlinhos Bala promete dar resposta dentro de campo

Jogadores do Altos demonstraram certa chateação com as declarações do presidente do Conselho Deliberativo do CSA, Raimundo Tavares, que disse “não conhecer o pequeno, só time grande”. O elenco não quis polemizar o assunto às vésperas do jogo de ida das oitavas da Série D do Brasileiro, que acontece nesse domingo, às 16h, no estádio Rei Pelé, em Maceió, contudo classificou como infeliz a fala do dirigente alagoano. Um dos jogadores mais experientes do Altos, o meia-atacante Carlinhos Bala, pediu palavra sobre o assunto.

– A forma como o dirigente se expressou é humilhante para nossa equipe, ficamos triste por isso. Isso não existe mais no futebol. Não estamos falando por parte do clube ou dos jogadores, a declaração veio do presidente do conselho deliberativo. Muitos presidentes são movidos pela paixão, sabemos da grandeza do CSA. Nosso time tem apenas três anos, o CSA tem uma história que todo mundo conhece no futebol. Ele foi infeliz, mas vamos com humildade. Faltou um pouco de humildade da parte dele, dizer que não tinha ninguém conhecido aqui – avaliou Bala.

Raimundo Tavares deu a seguinte entrevista, respondendo a uma fala do técnico Nivaldo Lancuna, do Altos, dizendo que o CSA não assustava o Altos.

– Eu tenho observado as declarações do pessoal do Altos e acho que não tem mais espaço para esse tipo de provocação. Nós temos que ficar no nosso lugar de um time grande, time de tradição, de história no futebol brasileiro. O pessoal lá é complicado e vamos trabalhar para meter três gols. Quero chamar a nossa torcida para comparecer, lugar de azulino é no Rei Pelé. Vamos respeitar o trabalho que vem sendo feito pelo Rafael Tenório [presidente do CSA], respeitar o adversário como um time profissional, mas se eles estão acostumados a jogar em campinho com 200 pessoas, vão jogar num tapete, e com 18 mil pessoas (…) Eu não conheço o pequeno, só conheço time grande. Eles têm que respeitar o CSA .

Fugindo de provocações, Carlinhos Bala defendeu o seu clube. E garantiu que a decisão será no campo.

– Não tira o nosso brilho de jogar um futebol alegre, respeitando o CSA. Ninguém se discute a tradição do CSA, o torcedor deles é movido pela paixão ao clube. Vamos fazer nosso joguinho calado, como sempre fazemos, para sair com um bom resultado.

Nivaldo Lancuna negou ter desrespeitado o CSA. Antes do treino de quinta-feira, antes da viagem a Maceió, considerou como “bobeira” as aspas do dirigente da equipe alagoana.

– Não temos nada a ver com o CSA. Nós, de maneira nenhuma, desmerecemos o CSA, assim como eles não podem desmerecer a gente. Chegamos aqui pelo nosso mérito, eles também. Não adianta criar clima, isso é a maior bobeira. Não existe isso no futebol – resumiu.

Altos e CSA começam no domingo a decidir quem avança às quartas de final e fica mais próximo do acesso à Série C. O time piauiense, por ter feito melhor campanha, faz o jogo da volta em casa, no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas