Barras avalia riscos de enchente após aumento do nível do rio Marataoan imprimir publicado em: 09 / 04 / 2018

flutuante

Balneário Flutuante, um dos principais pontos turísticos da cidade, foi atingido pela enchente. (Foto: Ascom/Prefeitura de Barras)

Com a abertura das comportas e a criação de sangradouros na Barragem do Bezerro no município de José de Freitas, neste domingo (8), houve o aumento do nível da água de rios e riachos que fazem parte da mesma bacia hidrográfica. Em Barras, o nível do rio Maratoã (Marataoan) subiu cerca de 1 metro em apenas 24 horas, aumentando o risco de alagamentos de comunidades ribeirinhas.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente de Barras, Assis Carvalho, algumas ruas de bairros ribeirinhos já estão alagadas pelas águas do rio Maratoã. Além disso, o Balneário Flutuante, um dos principais pontos turísticos da cidade, também foi tomado pela água. Moradores de comunidades atingidas pelo avanço do rio estão abandonando as residências e indo para outros locais distantes das margens do rio.

“A água já está invadindo, mas por enquanto são casos isolados”, frisa o secretário. Segundo ele, as comunidades mais vulneráveis a enchentes são os bairros São Cristóvão, Pedrinhas e Boa Vista, localizados àr margens do rio Marataoan.

Para fazer uma avaliação da situação do município, uma reunião de emergência foi convocada para as 15h desta segunda-feira (9) com o prefeito de Barras, Carlos Monte, e todos os secretários municipais. Durante a reunião, será feito um levantamento da situação dos bairros ribeirinhos na zona urbana do município e serão traçadas estratégias para diminuir o impacto da enchente.

Entenda

Na manhã deste domingo (8), a Prefeitura de José de Freitas detectou vazamentos nas paredes na Barragem do Bezerro, que é um dos maiores reservatórios do Piauí, com capacidade para armazenar mais de 10 milhões de metros cúbicos de água. Para evitar uma tragédia, a Prefeitura teve que abrir as comportas da barragem para diminuir a quantidade de água represada. Além disso, uma obra de caráter emergencial também foi feita no local para abrir sangradouros e evitar o rompimento da barragem.

Nove comunidades situadas no entorno da barragem encontram-se ameaçadas e o Exército já foi acionado para ajudar na remoção das famílias para áreas seguras. A varredura feita pela Defesa Civil Estadual e pelo Corpo de Bombeiros constatou que a barragem está infiltrando água além do normal e isto já abriu pequenos buracos na estrutura do lado de fora.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas