Bolsa de criptomoedas japonesa diz que hackers roubaram R$ 250 milhões imprimir publicado em: 24 / 09 / 2018

bitcoinA plataforma de negociação de criptomoedas japonesa Zaif anunciou que hackers obtiveram acesso não autorizado às “hot wallets” (carteiras on-line) da empresa, transferindo recursos que pertenciam aos clientes e ativos dela própria. No total, o roubo foi o equivalente a 7 bilhões de ienes em criptomoedas (cerca de R$ 250 milhões).

De acordo com um comunicado da companhia publicado na sexta-feira (21), os hackers roubaram 5.966 Bitcoin, 42.327 Bitcoin Cash e 6.236.810 MonaCoin. Pela cotação da própria plataforma, o valor total dessas moedas é de pouco mais de 7 bilhões e 30 milhões de ienes.

Para ressarcir seus consumidores e retomar as atividades, a Tech Bureau Corp, controladora da Zaif, entrou em um acordo com a Fisco, uma empresa japonesa que vai adquirir o controle majoritário da companhia com uma injeção de recursos de US$ 44,5 milhões.

Esta é o terceiro grande roubo de criptomoedas a atingir centros de negociação japoneses. A Mt. Gox, sediada em Tóquio, entrou com pedido de falência em 2014 após sucessivos problemas de segurança. No início de 2018, a Coincheck perdeu o equivalente a US$ 534 milhões em criptomoedas NEM.

A Agência de Serviços Financeiros, responsável por fiscalizar o mercado no Japão, fez em março uma recomendação para que a Tech Bureau e outras empresas licenciadas melhorassem suas práticas de segurança. Na época, duas outras plataformas receberam um mês de suspensão.

O Japão tem se situado na vanguarda da regulamentação das criptomoedas, aceitando-as como forma de pagamento e estabelecendo critérios para as operações.

G1

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas