Brasil e Colômbia esquecem rivalidade e fazem Jogo da Amizade imprimir publicado em: 24 / 01 / 2017

confusaoAs seleções de Brasil e Colômbia, que protagonizaram jogos quentes nos últimos anos, se enfrentarão nesta quinta-feira no Estádio Olímpico Nílton Santos, em amistoso que está sendo chamado de Jogo da Amizade e terá renda revertida às famílias das vítimas da tragédia com a Chapecoense.

Os adversários da partida são representantes de dois países que se uniram pela dor, depois que, no dia 28 de novembro, o avião que levava a equipe catarinense para Medellín, onde enfrentaria o Atlético Nacional, pela ida da final da Copa Sul-Americana.

Ao todo, 71 pessoas morreram, entre jogadores, integrantes da comissão técnica, dirigentes, jornalistas e convidados. Três jogadores sobreviveram a queda, o goleiro Jackson Follmann, que teve parte de uma das pernas amputadas, o zagueiro Neto e o lateral-esquerdo Alan Ruschel. O trio deverá estar no estádio para acompanhar o amistoso.

Nesta quarta-feira na capital fluminense, Brasil e Colômbia atuarão com equipes muito diferentes da que vêm colocando em campo nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, já que, o amistoso não acontece em uma data Fifa, possibilitando apenas a convocação de atletas que atuam na América do Sul.

Na seleção pentacampeã mundial, Tite relacionou 23 jogadores, todos que atuam no país, com destaque para a dupla Robinho, hoje no Atlético Mineiro, e Diego, que atua no Flamengo. Além disso, quatro convocados foram campeões olímpicos no ano passado, o goleiro Weverton (Atlético Paranaense), o zagueiro Luan Garcia (Vasco), além do volante Walace e o atacante Luan (ambos do Grêmio).

O jogador do Furacão, assim como o também goleiro Alex Muralha (Flamengo), os zagueiros Rodrigo Caio (São Paulo) e Geromel (Grêmio), além do lateral-direito Fagner (Corinthians) e o meia Lucas Lima (Santos) vêm aparecendo constantemente nas listas para as partidas das Eliminatórias para a Copa de 2018.

A escalação que será utilizada no jogo é um mistério, inclusive, porque houve acordo com os 14 clubes que cederam jogadores, e a apresentação só aconteceu nesta terça-feira, possibilitando apenas a realização de um treino, na véspera do duelo.

A Colômbia, por sua vez, terá sete jogadores do Atlético Nacional, com destaque para o atacante Miguel Borja, destaque da reta final da última edição da Taça Libertadores, que o clube de Medellín acabou conquistando.

O técnico argentino José Pekerman teve mais tempo para preparar a equipe, pois alguns atletas se apresentaram na semana passada. Os últimos a se incorporarem foram os “estrangeiros”, o volante Gustavo Cuéllar, do Flamengo, o meia Vladimir Hernández e atacante Jonathan Copete, ambos do Santos, e Teo Gutiérrez, do Rosario Central.

No Rio de Janeiro, os colombianos realizaram duas atividades, mas também não houve indícios de quem serão os 11 titualares.

Em pouco mais de dois anos e meio, os protagonistas do Jogo da Amizade se enfrentaram quatro vezes – além de um duelo entre as equipes olímpicas dos países -, com alguns momentos de tensão que intensificaram a rivalidade.

Pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2014, o Brasil venceu a Colômbia por 2 a 1, no Castelão, em Fortaleza. O jogo, no entanto, é mais lembrado pela lesão que tirou Neymar da competição, depois de entrada do lateral-direito Camilo Zúñiga, que chegou a ser perseguido nas redes sociais posteriormente.

Meses após o Mundial, as seleções, assim como os dois jogadores, se reencontraram, em amistoso disputado nos Estados Unidos, que terminou com vitória brasileira por 1 a 0, justamente com gol do camisa 10.

Em julho de 2015, outro encontro quente foi disputado no Chile, pela fase de grupos da Copa América. Neymar acabou expulso depois de se envolver em confusão no intervalo, que o tirou o torneio e também de alguns jogos das Eliminatórias, por suspensão. No jogo, a Colômbia venceu por 1 a 0, graças a gol do zagueiro Jeison Murillo.

O duelo mais recente, sem maiores entreveros, aconteceu na competição de qualificação para a Copa do Mundo, em Manaus. Já com Tite no comando, a seleção brasileira levou a melhor por 2 a 1. Neymar foi responsável por garantir a vitória, depois que Miranda abriu o placar e Marquinhos, contra, empatou.

EFE


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas