Brasil fica só no empate com arbitragem polêmica imprimir publicado em: 17 / 06 / 2018

gol polemico da suiça

Gol polêmico da Suíça

O gol de empate da Suíça foi um dos motivos de reclamação da seleção brasileira em relação à arbitragem. No entanto, Tite disse que sua equipe não deveria reclamar da falta não marcada sobre Miranda.

“Gostaria de estar respondendo outra pergunta, que seja sobre performance. Mas não vou fugir. Absolutamente não, não tem que pressionar a arbitragem. Tem todo um processo, uma sistemática, tem pessoas que avaliam. Não posso trazer uma equipe desequilibrada, que fica pensando na arbitragem”, comentou o técnico em coletiva à imprensa.

Embora não tenha certeza sobre o suposto pênalti em Gabriel Jesus no segundo tempo, que também motivou reclamações dos jogadores, o comandante brasileiro afirmou ter visto falta de Zuber sobre Miranda no lance do empate.

“O lance do Miranda é muito claro, muito limpo. Não estou aqui justificando o resultado. É muito claro, não é pouco, é muito. Quanto ao segundo lance do pênalti, vamos colocar que é passível de interpretação. O primeiro, não”, avaliou.

“Aceito falar de todos os outros [erros de posicionamento], desse de hoje, não. Foi algo muito claro, não posso falar de algo assim. Se o cara pega e empurra meu jogador, não é posicionamento, é falta”, cravou.

Tite deu a entender que não se preocupa com a fragilidade brasileira em bolas paradas. “Tomamos seis gols em 22 jogos. A bola parada na Copa do Mundo beirou 45% dos gols. Desse gol eu não aceito a observação em função de posicionamento”, disse o técnico.

Ao decorrer da entrevista coletiva, Tite revelou uma conversa que teve com Miranda após a partida. De acordo com o treinador, o zagueiro cogitou que teria sido melhor ter se jogado após o empurrão para caracterizar uma falta.

“Eu quero fazer uma observação que fiz com Miranda. Ele disse: ‘quando ele me empurrou, eu devesse cair no chão para caracterizar’. E eu falei: ‘não. Absolutamente não, porque vai caracterizar simulação. Tem que matar no peito e não quero que simule. Vai a responsabilidade. Não cai, não. Não faz isso”.

Nervosismo da estreia

Tite admitiu que a seleção brasileira sofreu momentos de oscilação durante a partida. Para o treinador, a ansiedade por ser uma estreia de Copa do Mundo pode ter sido um dos motivos.

“Durante o jogo, a Suíça conseguiu ser melhor a partir do gol. Depois equilibramos de novo. E mantivemos um nível de Brasil, mas a ansiedade bateu forte. Apressamos demais o jogo. Quando apressa demais, o último movimento [finalização] fica impreciso. Foram 20 chutes, mas muitos para fora. Poderíamos ter feito o goleiro trabalhar mais pelo número de finalizações que a equipe teve”, afirmou.

Em sua primeira Copa do Mundo, Tite afirmou que a ansiedade também o afetou. Para ele, o problema foi refletido na quantidade de finalizações erradas cometidas pela seleção brasileira na partida.

“Talvez a falta de precisão de finalização tenha sido pela marcação. Mas algumas situações foram limpas e faltou precisão. Um pouco de ansiedade, primeiro jogo, vontade de vencer. No técnico também bateu isso. E essa pressão associada às duas coisas. Nós queremos jogar, queremos jogo. E a orientação é bater rápido a falta. Vamos continuar assim. Vamos tomar a falta e sair para o jogo. O Brasil propõe o jogo”.

uol.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas