Câmara de Vereadores pede suspensão do Uber em Teresina imprimir publicado em: 23 / 03 / 2017

A Câmara Municipal de Teresina deu ontem (22) um pontapé para discutir o projeto de regularização dos serviços do Uber na capital. Desde que foi implantado, o serviço vem causando divergência com os taxistas, chegando ao desfecho de agressões e atos de violência. Alguns casos foram parar na delegacia de Polícia. 

deolindo moura

A audiência foi marcada por debates e bate-bocas. Mas,como encaminhamentos foi proposta a suspensão imediata da circulação dos transportes que operam pelo Uber. Outro pedido foi um maior rigor na fiscalização feita pela Superintendência Municipal de Trânsito (Strans) e uma reunião com a Strans e demais representantes da Prefeitura de Teresina para debater a regularização do Uber na capital.

A audiência reuniu representantes da Prefeitura e dos trabalhadores que atuam no sistema de transporte individual de passageiros.

O vereador Deolindo Moura (PT), autor da audiência pública, ressaltou que o objetivo do encontro é promover o debate sobre a regularização.

“A Câmara Municipal de Teresina não poderia deixar de trazer esse debate e de ouvir os trabalhadores e também os órgãos que regulam o sistema de transporte individual de passageiros. Conduzimos esse debate com muita responsabilidade e esperamos que em breve esse impasse seja resolvido”, afirma. 

Gean Rodrigues, presidente da Associação dos Motoristas Autônomos para Transporte Privado individual de Passageiro no Piauí (AMATEPI), que também é operador do sistema Uber em Teresina, defende a regularização para que o serviço oferecido tenha qualidade. “É possível buscar a regularização e esse é o nosso interesse, pois a legalização do Uber trará benefícios para a cidade e para os usuários”, frisa.

Para o diretor de operações da Strans, coronel Jaime Oliveira, da maneira como o serviço Uber tem sido operacionalizado atualmente em Teresina, fora da regulamentação exigida pela Strans, os motoristas que operam pelo aplicativo não têm autorização para circular.

“A Prefeitura de Teresina não é contra o serviço Uber, mas, para operar o transporte remunerado de passageiros em Teresina é preciso a aprovação de uma lei que regulamente o serviço”.

audiencia

Já Raimundo Bezerra Nascimento, presidente do Sindicato dos Taxistas, avalia que a população pode escolher qual serviço utilizar, mas ressaltou que o serviço atua de forma ilegal.

 


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas