Caso Uber: delegada diz que vai identificar e intimar ‘taxistas violentos’ imprimir publicado em: 14 / 02 / 2017

Vilma AlvesA primeira audiência entre a Uber Laiana Mota e o taxista que lhe agrediu na frente da rodoviária de Teresina não ocorreu porque o motorista de táxi faltou à Delegacia da Mulher nesta terça-feira(14).  Laiana foi xingada e coagida em mais um conflito entre as categorias registrado na semana passada.

A delegada da Mulher, Vilma Alves, garante que, mesmo faltando à audiência, o taxista será punido pela agressão. Em depoimento, Laiana contou que foi agredida com xingamentos de conotação sexual e ameaçada de morte.

“Os responsáveis serão indiciados pelo crime de constrangimento. Ela ficou cercada. Foi xingada. Sofreu a violência contra a liberdade sexual. Foi ameaçada de morte e chegou na delegacia chorando. Ela chegou a pedir para a avó, que mora sozinha com ela, ir para outro local”, conta a delegada Vilma.

A delegada disse que ainda não foi possível identificar todos os taxistas que participaram da confusão. O que foi identificado não compareceu à audiência.

“É difícil saber o nome das pessoas, mas não é impossível. Estamos na iminência de chamar esses taxistas violentos para depoimento. Acharam que pelo fato dela ser mulher, ela poderia ser agredida. A população está ansiosa por uma resposta. Impune esse caso não vai ficar”, garante a delegada Vilma.

Sobre a polêmica da falta de regularização do Uber em Teresina, a delegada defende que essa é outra discussão que não justifica a agressão sofrida por Laiana.

“A atitude deles foi crime. A dela de trabalhar, não”, pondera a delegada.

Cidadeverde.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas