Cientistas detectam sinal de rádio que pode vir de uma civilização alienígena imprimir publicado em: 30 / 08 / 2016

sateliteUma equipe de cientistas do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence, ou “Busca por Inteligência Extraterrestre”), divulgaram na noite da última segunda-feira, 29, a descoberta de um estranho sinal de rádio vindo do espaço. Para muitos, existe a possibilidade de que esse sinal tenha vindo de uma civilização alienígena.

É claro que os cientistas ainda precisam investigar a fundo a origem deste sinal antes de confirmar sua procedência, mas a hipótese de contato com outros seres não está descartada. O sinal de 11Ghz vem de uma estrela catalogada como HD164595, localizada a 95 anos-luz da Terra.

A estrela em si é bem parecida com o nosso Sol e, segundo cálculos anteriores, tem cerca de 6,3 bilhões de anos – enquanto a nossa tem 4,5 bilhões de anos. Astrônomos sabem de apenas um planeta orbitando a HD164595, chamado de HD164595 b, que tem um diâmetro parecido com o de Netuno (muito maior do que a Terra) e completa uma volta em torno de sua estrela a cada 40 dias terrestres.

Com essas características, o HD164595 b nunca foi cogitado como um local onde fosse possível encontrar vida – pelo menos não como a da Terra. Isso não descarta a possibilidade de que haja outros planetas na órbita da mesma estrela que ainda não pudemos detectar.

Segundo Paul Gilster, o astrônomo que divulgou a descoberta do SETI, há muitas possíveis origens para o sinal de rádio, incluindo fenômenos naturais ou interferências nos telescópios dos pesquisadores. No entanto, as possibilidades mais óbvias – como FRBs (fast radio bursts, ou “rápidos estouros de rádio”, que acontecem a todo momento no espaço sem uma explicação definitiva encontrada pela ciência) – já foram descartadas.

“Se isso for de uma fonte astronômica real, e não de origem alienígena, seria bem estranho”, explicou Nick Suntzeff, astrônomo da Universidade A&M do Texas, nos EUA, ao site Ars Technica. Os FRBs, como ele explica, geralmente duram apenas 10 milissegundos, enquanto os sinais detectados pelo SETI são muito mais longos.

Como é o caso de toda descoberta curiosa feita pelo SETI, cientistas que participam do projeto ao redor do mundo já começaram a se concentrar em estudar este misterioso sinal de rádio, detectado por um telescópio na Rússia. Novas informações sobre a descoberta devem ser divulgadas nas próximas semanas.

Olhar Digital


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas