CNT/MDA: Bolsonaro (28,2%) e Haddad (25,2%) registram empate imprimir publicado em: 30 / 09 / 2018

EmpateNova pesquisa CNT/MDA realizada entre os dias 27 e 28 de setembro mostra que Jair Bolsonaro (PSL) segue numericamente na frente na disputa eleitoral com 28,2%, enquanto Fernando Haddad (PT) possui 25,2%, sendo que estes dois nomes iriam para o segundo turno, estando empatados na margem de erro. Na comparação com o levantamento anterior, realizado entre 12 e 15 de setembro, Bolsonaro manteve a intenção de voto, enquanto Haddad subiu 7,6 pontos percentuais, uma vez que tinha 17,6 pontos na última pesquisa.

Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT) com 9,4%, oscilação para baixo em relação aos 10,8% do último levantamento, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou positivamente, de 6,1% para 7,3%. Marina Silva (Rede) oscilou para baixo, de 4,1% para 2,6%, empatando tecnicamente com Henrique Meirelles (MDB), que foi de 1,7% para 2%, João Amoêdo (Novo), que foi de 2,8% para 2% e Alvaro Dias (PODE), que foi de 1,9% para 1,7%.

Cabo Daciolo (PATRI), Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não chegaram a um ponto percentual. Brancos/nulos somaram 11,7% e indecisos totalizaram 8,3%.

A pesquisa CNT/MDA tem o registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-03303/2018, ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

1º TURNO: Intenção de voto estimulada – votos totais

Jair Bolsonaro 28,2%
Fernando Haddad 25,2%
Ciro Gomes 9,4%
Geraldo Alckmin 7,3%
Marina Silva 2,6%
Henrique Meirelles 2%
João Amoêdo 2%
Álvaro Dias 1,7%
Cabo Daciolo 0,7%
Guilherme Boulos 0,4%
Vera 0,3%
João Goulart Filho 0,1%
José Maria Eymael 0,1%

Segundo turno
Em hipótese de segundo turno, Haddad venceria Bolsonaro, caso a eleição fosse hoje, por 42,7% a 37,3%. Bolsonaro perderia de Ciro Gomes por 35,2% a 42,7% e empataria tecnicamente com Geraldo Alckmin, com 37% do candidato do PSL versus 33,6% do tucano. Haddad, por sua vez, aparece empatado tecnicamente com Ciro Gomes, e ambos venceriam Geraldo Alckmin em um eventual segundo turno.

2º turno: intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Ciro Gomes 42,7%, Jair Bolsonaro 35,3%, Branco/Nulo: 17,8%, Indecisos: 4,2%.
CENÁRIO 2: Fernando Haddad 42,7%, Jair Bolsonaro 37,3%, Branco/Nulo: 16,1%, Indecisos: 3,9%.
CENÁRIO 3: Jair Bolsonaro 37,0%, Geraldo Alckmin 33,6%, Branco/Nulo: 25,1%, Indecisos: 4,3%.
CENÁRIO 4: Ciro Gomes 34,0%, Fernando Haddad 33,9%, Branco/Nulo: 26,9%, Indecisos: 5,2%.
CENÁRIO 5: Ciro Gomes 41,5%, Geraldo Alckmin 23,8%, Branco/Nulo: 29,1%, Indecisos: 5,6%.
CENÁRIO 6: Fernando Haddad 39,8%, Geraldo Alckmin 28,5%, Branco/Nulo: 26,4%, Indecisos: 5,3%.

Rejeição e certeza do voto
Em relação à rejeição aos candidatos, Ciro Gomes, Fernando Haddad e Geraldo Alckmin ficaram estáveis na margem de erro, com 37,1%, 48,3% e 52,8% respectivamente (no levantamento anterior, o percentual era de 38,1%, 47,1% e 53,4%, respectivamente). Já o candidato Jair Bolsonaro registrou aumento nesse índice, para 55,7%, ante 51% do levantamento anterior.

Por outro lado, os eleitores do candidato do PSL são os que estão mais certos de seu voto. Entre os eleitores de Bolsonaro, 82,5% consideram a decisão de voto como definitiva. Dentre os de Fernando Haddad, 82,8%, Ciro Gomes, 66,7%, Geraldo Alckmin, 57,8%, Marina Silva, 45,3%, Henrique Meirelles, 57,5% e João Amoêdo, 66,7%.

Caso acreditem que o seu candidato de preferência não tem chances de ir para o 2º turno, 76,4% manterão a decisão de voto mesmo se considerarem que o candidato não continuará na disputa. Outros 21% dos entrevistados dizem que poderão mudar o voto, aponta o levantamento.

Os candidatos com mais chances de receber o voto dos que se declaram indecisos, e sendo permitido citar até duas opções, são: Fernando Haddad, 19,3%, Ciro Gomes, 18,7%, Jair Bolsonaro, 17,5%, Geraldo Alckmin, 13,3%, Marina Silva, 7,8%, Alvaro Dias, 3,6%, João Amoêdo, 3,0% e Henrique Meirelles, 1,2%. Outros somam 1,8%, enquanto Branco/Nulo soma 3,0% e Indecisos totalizam 42,8%.

O candidato que os entrevistados acreditam que ganhará a eleição para presidente é Jair Bolsonaro (42,0%). Em seguida, aparecem Haddad (29,0%), Ciro Gomes (4,5%) e Geraldo Alckmin (3,9%). Outros somam 1,8%, enquanto 18,8% não souberam informar.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas