Colegas de seleção evitam falar de assédio por Gabriel Jesus imprimir publicado em: 21 / 07 / 2016

CBFNão é 1 milhão, não são 10 milhões, nem 20 milhões. Na mesa, a proposta do Manchester City é da ordem de 32 milhões de euros. Cerca de R$ 115 milhões para jogar no time dirigido por Guardiola. Por mais isolamento que a serra e a Granja Comary ofereçam, Gabriel Jesus é assunto na janela europeia e também na preparação da seleção olímpica brasileira. Os jogadores Uilson, goleiro do Atlético-MG, e Rodrigo Dourado, meia do Internacional, não ficam incólumes. Mas garantem que o garoto não vai perder a concentração.

– A gente não viu muita coisa, porque temos muito o que fazer. Mas a gente abre internet, vê alguma coisa. Ele é um menino muito tranquilo, muito bom. Isso tudo não vai atrapalhar em nada. Tem pés no chão e também não é de hoje que se fala nisso (propostas por Jesus). Jogar na Europa é sonho de todos, as tem momento certo. O foco total é na olimpíada – afirmou Rodrigo Dourado.

Tímidos – Dourado menos que Uilson -, os dois jogadores da seleção olímpica falaram por cerca de 30 minutos e apontaram algo em comum: certa frustração em não conhecer a Vila Olímpica. Longe do convívio das estrelas dos jogos da Rio 2016, eles focam na preparação para a competição.

– Comentei com um amigo que queríamos estar presentes na Vila olímpica, ver de perto os grandes atletas, mas aqui na Granja temos um um ponto forte que é poder focar no trabalho, no treinamento, isso pode ajudar muito lá na frente – opinou Uilson.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

0 comentário Comente agora!

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas