Com Bolt nos Jogos, até campeões olímpicos viram quase ‘figurantes’ imprimir publicado em: 30 / 07 / 2016

jamaicanos

Novatos da Jamaica fazem graça e até imitam tradicional comemoração de Bolt para aparecer

Câmeras, olhares… Tudo e todos estão voltados para Usain Bolt. Desde que a delegação jamaicana chegou ao Rio de Janeiro, o hotel que serve de base para a comitiva se tem tido a presença constante de jornalistas e até fãs em busca de qualquer movimentação ou clique do astro. Outros medalhistas olímpicos e mundiais passam quase desapercebidos, como se apenas o Raio importasse. É como se as dezenas de outros atletas do país fossem apenas figurantes.

O “véu” que encobre os demais membros da equipe se estende até mesmo para aqueles de renome no cenário mundial. Desde o começo da semana, o atual vice-campeão olímpico dos 100m e dos 200m e campeão do revezamento 4x100m, Yohan Blake, passou-se quase por anônimo no local. Os holofotes o encontraram apenas quando estava por perto do companheiro mais famoso. O mesmo aconteceu com ninguém menos que o ex-recordista mundial dos 100m, Asafa Powell, ouro no 4x100m em Pequim.

Alguns preferem encarar tudo como uma piada. Um dia após a chegada do multicampeão olímpico ao hotel, jovens estreantes em Olimpíadas fizeram graça ao posar para os jornalistas de plantão imitando o famoso gesto de Usain Bolt. Ninguém estampou qualquer manchete.

– Usain é a lenda, é o grande nome do esporte. Não é um problema que ele seja o foco da atenção, é natural. Nós podemos trabalhar para um dia também ter isso, se desejarmos. O lado bom é que, como todos olham para ele, nós podemos relaxar mais, não passar pelo estresse. Ele tem que lidar com os flashes, entrevistas. Para ele parece fácil passar por isso, não sei se para todos seria – disse o jovem Jevaughn Minzie, de 21 anos, que compõe o grupo do revezamento 4x100m.

Parte da delegação feminina do país não lida com a questão com o mesmo bom humor. Procuradas depois que Bolt se recolheu a seu quarto de hotel, três atletas se recusaram a falar com a reportagem do GloboEsporte.com. Ristanana Tracey, 14ª no ranking mundial da temporada nos 400m com barreiras, e Anneisha McLaughlin, que deve compor o revezamento 4x400m, cortaram a abordagem com a mesma frase: “Não neste momento”.

Algumas estrelas jamaicanas ainda não desembarcaram no Rio de Janeiro. É o caso da campeã olímpica Shelly-Ann Fraser-Pryce, que não costuma dar bola para a imprensa antes das competições, mas já se queixou algumas vezes publicamente da maior visibilidade dada ao atletismo masculino – leia-se Usain Bolt. Ela deve juntar ao grupo nos próximos dias. A tendência é que a delegação entre na Vila dos Atletas até a próxima quarta-feira.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas