Com seca intensa, nível de açudes no interior do Piauí é crítico imprimir publicado em: 06 / 11 / 2016

acudeDados da Defesa Civil do Piauí apontam que 118 municípios decretaram situação de emergência devido à seca, o que representa 52% das cidades do estado. Na região de Picos, o cenário é preocupante. Os agricultores estão desolados com perdas enormes nas lavouras. Em Bocaina, os agricultores não conseguem ter acesso à agua do açude.

O relevo parecido com um funil e um rio passando por dentro dele foi o cenário que deu a ideia de construir a barragem de Bocaina em 1984. A capacidade do reservatório é de 104 milhões de metros cúbicos. No entanto, nesses mais de 30 anos, desde que a barragem foi feita, a água nunca esteve com um nível tão baixo, ocupando apenas 8% de toda a capacidade.

Localizada a 324 Km de Teresina, Bocaina possui mais de seis mil habitantes e quase dois mil deles são filiados ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Todos vem enfrentando cinco anos de seca castigante. A água da barragem seria a melhor opção para a convivência com a estiagem, mas pouco serve para quem mora no município. “Normalmente, os moradores que moram próximo utilizam a água para os animais, mas não tem como levar para as roças que ficam em um outro nível da barragem”, explicou Francisco da Silva, agricultor e vice-presidente do sindicato.

Seja com o nível alto ou baixo, a água do reservatório é subutilizada por causa da falta de sistemas de captação. Mesmo com décadas de barragem, não existe nenhuma adutora levando água para as comunidades próximas ou distantes. Segundo o DNOCS, esta realidade está próxima de mudar. “Brevemente quando terminar a adutora, que está quase concluída, as coisas vão melhorar. Quando terminar as caixas de tratamento, vão ser abastecidos os municípios de Bocaina, Sussuapara e Picos”, disse o técnico Francisco Alves Teixeira.

A Agência Nacional de Águas (ANA) determinou que mesmo com o baixo nível da lagoa, as compotas devem liberar água para perenizar o leito do rio Guaribas, que um dia já abasteceu toda a região. “Nós perenizávamos esse rio até Santa Cruz do Piauí, quando tinha água suficiente. Em Picos havia 600 hectares irrigados, mas foi secando e hoje essa água só chega até o município de Sussuapara”, completou Francisco Teixeira.

A situação é ainda mais difícil do que em Bocaina em outros municípios da região. Os açudes de Fátima, em Picos, e Cajazeiras, em Pio IX, estão com 0% das suas capacidades. “Não tem uma gota d’água. A situação é preocupante para a população da região de Fronteiras, Pio IX, São Julião. A situação é muito crítica e o que temos feito é investir muito em sistemas de abastecimento, pequenas adutoras, fazendo parcerias com as prefeituras, associações, assentamentos. A gente tem distribuído material como caixa d’água, bombas submersas, canos para adutoras, etc”, diz Antônio Djalma Bezerra, diretor do DNOCS.

Solimar é um dos poucos que insistem em permanecer na região. Ele plantava quatro hectares de banana, mas tudo morreu. Hoje, para aproveitar ao máximo, ele usa água do poço primeiro na piscicultura e depois na irrigação. O agricultor plantou goiaba e colhe alguns frutos, mas não pode aumentar a produção pela falta de água. “Eu iria produzir mais, teria mais gente. Cheguei a ter seis funcionários, hoje tenho só um pagando dois dias por semana porque não tenho condição de pagar”, finalizou o agricultor.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas