Com treino de 13 contra 11, Altos chega confiante para estreia contra o Caiçara imprimir publicado em: 28 / 01 / 2016

A confiança parece mesmo uma constante no grupo do Altos. Mesmo com transtornos como a reforma no estádio “casa” do clube, lesões e mudanças na data da estreia diante do Caiçara, o discurso do técnico Nivaldo Lancuna não poderia ser mais otimista. Com time fechado, estratégia definida e treinos de 13 contra 11, o treinador parece não guardar receio algum dos desafios que rondam a edição 2016 de estadual.

aliasSe a ausência de amistosos durante a pré-temporada pode causar desconfianças por parte de alguns, o plano adotado pelo Lagarto deu uma nova perspectiva ao treinador. Focando nos treinos físicos e nos coletivos, a expectativa de Nivaldo é a de que o time saia com um entrosamento maior e com mais força em campo. Com atividades envolvendo números incomuns em campo, o grupo parece estar ajustado conforme as palavras do técnico.

– Já montamos uma estratégia de jogo, de como vamos jogar e a determinação dentro de campo. Foi muito bem aceita. Chegamos até a jogar de 13 jogadores contra 11 para ver se nos saíamos bem. Saímos bem na marcação, na chegada ao ataque, na defesa, então acho que foi um treinamento de muita qualidade e a tendência é a de nossa equipe fazer um bom jogo diante do Caiçara – conta o treinador.

Sobre o adversário, visto por alguns como um dos azarões do torneio, o técnico Nivaldo assume um ponto de vista mais cauteloso. Para o treinador carioca, com a capacidade competitiva dos clubes piauienses, o segredo para um bom desempenho no campeonato vai ser o cuidado em não cometer erros durante as partidas.

– Sabemos que vai ser um jogo difícil. O Caiçara vem com uma grande equipe, acho que vai ser um campeonato muito disputado e a equipe que errar menos é a que vai sair vencedora. Espero que a minha equipe erre menos e procure entrar com coração e determinação dentro de campo. Sabemos que estamos defendendo a nossa bandeira, que é a cidade de Altos – ressalta.

Com relação à mudança da data e local da partida inicial no estadual, a palavra de ordem é adaptação. A mudança de palco do estádio Felipão para o estádio Albertão, em Teresina, bem como o adiantamento de dois dias para o jogo contra o Caiçara não causaram efeito negativo algum no técnico.

– Nós temos que nos adaptar. Não adianta eu me esconder atrás da data. A data escolhida foi essa, e vamos estar preparados para isso e o jogador tem que mentalizar dentro de campo, se posicionar, se doar, vestir bem a camisa. Nós somos profissionais e vivemos disso – adianta.

Diante do receio de alguns treinadores em afirmar que já possuem um grupo montado, Nivaldo não titubeia e não fica em cima do muro. Sem citar nomes, deixa claro que a equipe já está formada.

– Minha equipe está definida desde quando eu contratei. Já veio definida. Nós conversamos muito e sempre procuramos ver essa situação com meu auxiliar. Conversamos desde o início e entramos num denominador comum – pontua.

O jogo contra o Caiçara vai acontecer no Albertão, em Teresina, às 16h como partida preliminar ao confronto entre Piauí e Picos, programada para as 20h.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas