Contas de investigados na Operação ‘Sorte Grande’ são bloqueadas imprimir publicado em: 22 / 08 / 2014

SorteDesde que a foi deflagrada a Operação ‘Sorte Grande’, na última quarta-feira (20), as contas pessoais dos investigados estão bloqueadas e os passaportes foram recolhidos. A informação foi confirmada pelo delegado Regional de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Carlos Alberto.

Segundo ele, as medidas são necessárias para manter os envolvidos no local onde a investigação está acontecendo, bem como garantir recurso caso seja exigida a restituição ao erário público.

A Polícia Federal, em parceria com a Receita Federal, descobriu que a fraude do grupo empresarial que atua na área de comunicação, concessionárias e empreendimentos imobiliários, já chegava a quase R$ 900 milhões, em valores sonegados de impostos.

De acordo com a investigação da Polícia Federal, a fraude se dava quando uma das empresas do grupo empresarial deixava de pagar os impostos e, ao ser cobrada, forjava a falência do empreendimento.

Segundo o superintendente da Receita Federal, Marcellus Alves, antes de ter os débitos lançados, a empresa começava a transferir os bens para outra “laranja”, fazendo o esvaziamento patrimonial daquela que estava devendo à Receita. “Assim, eles conseguiam a autorização legal para pagar a parcela mínima”, disse o superintendente. O débito, pago em mensalidades de R$ 100 a R$ 200, seria pagos em centenas de milhares de anos.

A PF instaurou o inquérito em 2006, mas desde 2003 o INSS já havia provocado o Ministério Público Federal depois que teria descoberto fraude em débitos previdenciários.

Em nota de esclarecimento, os investigados alegam que a operação da PF foi “um grande e lamentável equívoco”, e que foi deflagrada a partir de uma investigação ultrapassada.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas