Corinthians revê fantasmas e busca virada inédita no século imprimir publicado em: 09 / 08 / 2018

A derrota no Chile reaproximou o Corinthians de dois fantasmas recentes na Copa Libertadores. E para sair da situação incômoda e seguir para as quartas de final, a missão não é simples e pede uma virada que não existe na história do clube na competição desde 2000. Assista ao gol e aos melhores momentos do jogo.timao

Foi nessa edição, há 18 anos, que o Corinthians conseguiu reverter um mata-mata de Copa Libertadores pela última vez, ao sair em desvantagem no jogo de ida contra o Rosario Central, na Argentina, e alcançar a classificação nos pênaltis. A meta é repetir esse feito no dia 29, em Itaquera.

Em 2003 e 2006 [contra o River Plate], em 2010 [contra o Flamengo], em 2013 [contra o Boca Juniors] e em 2015 [contra o Guaraní, do Paraguai], o Corinthians foi eliminado exatamente em circunstâncias como a que ocorreu no Chile, derrotado no jogo de ida e sem conseguir a virada.

Há outro ponto em comum entre todos esses jogos, e que também se repetiu na eliminação corintiana mais recente, na Libertadores de 2016, contra o Nacional do Uruguai. Todos eles ocorreram nas oitavas de final, mesmo estágio que a equipe corintiana pega o Colo-Colo depois de fazer a sexta melhor campanha da fase de grupos.

O fantasma das oitavas de final não é o único que o Corinthians reviu no duelo de Santiago. A expulsão de Gabriel por acúmulo de amarelos no começo do segundo tempo, quando a equipe esperava buscar um empate, reabre a sina vivida pelos corintianos nos duelos internacionais. Em 119 jogos na história da Libertadores, a média é de um vermelho a cada quatro jogos. Nessa edição, Sheik foi expulso na primeira fase e pegou gancho de dois jogos.

Em muitas das eliminações em oitavas de final, o Corinthians teve expulsões de jogadores como protagonistas, como Kléber e Roger Guerreiro em 2003, Mascherano em 2006, os experientes Jadson e Fábio Santos na edição 2015 e, no ano seguinte, Fagner diante do Nacional. Até na última Sul-Americana a eliminação para o Racing teve um vermelho – Rodriguinho, no jogo de volta.

Apesar do panorama difícil, em jogo no qual Cássio foi o melhor corintiano, Osmar Loss adotou um discurso otimista na coletiva de imprensa em Santiago. A confiança do treinador é na evolução do time desde a parada da Copa do Mundo, em ascensão no Brasileiro e em vantagem na Copa do Brasil.

uol.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas