‘Criptocorretora’ Binance promete US$ 250 mil por dados de hackers imprimir publicado em: 14 / 03 / 2018

binanceA “exchange” chinesa Binance, que atua no mercado de compra e venda de criptomoedas como o Bitcoin, anunciou uma recompensa de US$ 250 mil (cerca de R$ 820 mil) por informações que levem à identificação de criminosos que tentaram realizar um golpe contra os usuários da plataforma no dia 7 de março. O ataque dos hackers não atingiu a Binance em si: todo o esquema dependeu de senhas roubadas em sites falsos, onde clientes da plataforma digitaram suas informações.

O dinheiro da recompensa será inteiramente pago em BNB, a “Binance Coin”. A BNB é um token controlado pela própria Binance e é usado para pagar os serviços de mediação oferecidos pela Binance. Mas a companhia prometeu que o valor será equivalente aos US$ 250 mil na data do pagamento. A BNB atualmente funciona sobre a rede da moeda Ethereum, mas a Binance anunciou o desenvolvimento de uma blockchain nova e exclusiva para a moeda nesta terça-feira (13).

Não muitos detalhes sobre a fraude, mas as informações fornecidas pela Binance sugerem que o golpe foi parecido com o da gangue Coinhoarder, que mirou usuários do site “Blockchain”. Os golpistas usaram endereços com caracteres especiais para criar sites clonados em endereços praticamente idênticos ao da Binance. A empresa só não informou se esses endereços foram divulgados no Google, como no caso Coinhoarder, ou por outro meio.

O golpe teria começado em janeiro. Os hackers pacientemente acumularam senhas roubadas até o dia 7 de março, quando tentaram utilizar as contas para interferir no mercado de compra e venda da Viacoin por Bitcoin na Binance. A empresa diz que seus sistemas de proteção detectaram a anomalia e imediatamente bloquearam saques, o que permitiu a devolução do dinheiro roubado para boa parte das vítimas.

Reserva de US$ 10 milhões e ‘nova blockchain’

Com seis meses de funcionamento, a Binance se tornou a plataforma de mediação de compra e venda de criptomoeda do mundo em volume, segundo o site “CoinMarketCap”. A companhia não trabalha com nenhuma moeda fiduciária. Todas as compras e vendas têm de ser feitas com alguma criptomoeda.

Além da recompensa de US$ 250 mil oferecida por informações que levam aos hackers responsáveis por esse golpe, a empresa diz ter reservado outros US$ 10 milhões (cerca de R$ 33 milhões) para pagar futuras recompensas por golpistas que tentem mirar seus usuários. A companhia afirmou que “convida outras exchanges e empresas do ramo de criptomoedas para se juntar a essa iniciativa” e que “não se pode apenas ficar na defensiva”.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas