Delegacia invadida após apreensão de suspeito de estupro está fechada imprimir publicado em: 10 / 08 / 2016

delegacia de pedro II

Moradores revoltados com estupro invadiram a delegacia da cidade de Pedro II

A delegada Camila Miranda, titular da Delegacia de Polícia Civil de Pedro II, disse nesta quarta-feira (10) que uma equipe de perícia vai até a cidade para levantar os prejuízos causados pela invasão do distrito, que foi fechado por falta de condições de funcionamento. O tumulto ocorreu na noite da terça-feira após a população saber da apreensão do adolescente suspeito de estuprar a criança de 1 ano e três meses em um matagal na cidade.

O adolescente chegou a confessar a autoria do crime na delegacia. De acordo com o delegado Willame Moraes, gerente de policiamento da Polícia Civil no interior, o menor, que é vizinho da vítima, relatou todos os detalhes de como praticou o crime no domingo (7). A menina teve que ser submetida a uma cirurgia para reconstrução da vagina, está internada e seu estado de saúde é estável.

Camila Miranda falou que durante a confusão dois presos que estavam detidos no local tiveram que ser liberados por conta do fogo que ameaçava a cela da delegacia. Ambos são suspeitos de disparos de arma de fogo e segundo a delegada já se apresentaram espontaneamente na manhã desta quarta-feira. Algumas motos que estavam no pátio do local foram queimadas pelos moradores revoltados.

“Na verdade nós tivemos que liberar os dois presos para garantir a integridade física deles porque a cela estava pegando fogo, mas ambos já se apresentaram de forma espontânea. Também quebraram grades da delegacia e atualmente não temos condições de funcionamento. Uma equipe de perícia está sendo providenciada pela Delegacia Geral para fazer um levantamento dos danos causados”, falou.

fogoSegundo ela, os serviços estão parados e as demandas urgentes sendo encaminhadas para a cidade de Piripiri, que fica a 44 km de Pedro II. A expectativa da delegada é de que até a próxima segunda-feira (15) a delegacia volte a ter condições de funcionamento com segurança e os serviços possam ser retomados com normalidade no local. Ela afirmou ainda que um inquérito será aberto para apurar a depredação.

“Vai ser aberto um inquérito policial para apurar o caso. As pessoas que fizeram essa depredação já estão sendo identificadas e todas elas serão responsabilizadas por essa atitude”, concluiu a delegada.

A revolta dos moradores aconteceu após a notícia de que a polícia havia apreendido o adolescente de 17 anos suspeito de estuprar a criança de apenas 1 ano e três meses de idade. Apesar do tumulto, o menor não estava na delegacia, pois foi levado direto para a cidade de Piripiri por questões de segurança. Segundo o delegado Willame Moares, o adolescente confessou o delito e deu detalhes de como agiu.

Entenda o caso
De acordo com a polícia, a menina foi encontrada na manhã do domingo (7) em um matagal próximo à casa da avó, onde dormia quando foi levada do quarto ainda na madrugada. A bebê ficou sob os cuidados da avó materna e uma tia após a mãe sair para uma festa. Por volta das 2h, a tia acordou para amamentar a filha e percebeu que a sobrinha não estava mais na cama.

Pela manhã, a notícia do desaparecimento da garota se espalhou pela cidade. Foi quando populares a encontraram sem roupa e com vários hematomas pelo corpo ao lado de um terreno baldio, segundo a polícia, local frequentado por usuários de drogas.

“Havia machucados pela boca e uma lesão próximo ao olho, além disso, a vagina dela estava bastante machucada”, relatou a delegada Camila Miranda, que preside as investigações.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas