Delegado Barêtta garante prisão de assassinos de esposa de pastor imprimir publicado em: 13 / 01 / 2017

delegado barettaO delegado Barêtta, coordenador da Delegacia de Homicídios, afirmou que nos próximos dias deverá fazer a prisão dos dois homens suspeitos pelo assassinato de Patrícia Silva Lima. Ela era esposa de um pastor e cantor da Assembleia de Deus e foi assassinada a tiros durante uma tentativa de assalto no dia 25 de dezembro, no conjunto Novo Milênio, na zona Sudeste de Teresina.

Segundo o delegado, a novidade sobre o caso é que dois homens devem ser presos nos próximos dias. “A novidade é que eu vou apresentar os dois indivíduos presos aqui nos próximos dias. Estou lhe dizendo nos próximos dias, pois a gente depende da legalidade né. Hoje a gente só pode prender em flagrante delito ou com ordem da autoridade judicial competente, no caso o juiz criminal. A gente está providenciando para que seja feito tudo dentro da legalidade. Estamos andando e a investigação está praticamente em 90%”, afirmou.

Barêtta explicou que Patrícia morreu após ser alvejada com o tiro durante uma tentativa de assalto a filha da vítima. “Eram 5h da manhã, do dia 25 [de dezembro], no natal, e a filha dela estava se despedindo do namorado, quando os dois indivíduos se aproximaram em uma moto e anunciaram o assalto. A filha dela correu com o namorado [para dentro da residência] e bateu o portão. Patrícia estava na sala e escutou o barulho forte do portão batendo. Quando ela chegou lá, ajudou a fechar o portão e se abaixou. Então o cara deu um tiro. A bala ultrapassou o portão, pegou o ombro direito dela e desceu, cortando o pulmão e a aorta. Ela morreu ali”, explicou Barêtta.

O coordenador da Delegacia de Homicídios disse ter ficado surpreso com o trajeto da bala e acrescentou que ela morreu principalmente pela posição que ela estava quando segurava o portão. “Eu até fiquei assim [surpreso]. Eu discuti com o legista, porque é uma coisa interessante. Policial de homicídio tem que ser um que saiba levantar local de crime e seguir os passos até o IML. Essa mulher pegou um tiro, que fez um trajeto de cima pra baixo. Quando eu li o laudo, eu pensei que não podia [ter acontecido assim]. Aí o legista explicou que ela devia estar inclinada. Chamei as testemunhas que disseram que ela realmente estava inclinada”, afirmou.

Ele explicou que após a prisão dos acusados, espera recuperar a arma do crime. “O médico tirou o projétil [do corpo da vítima] e ele está perfeito para comparativo com outro projétil. A arma de fogo tem um calibre nominal e o real, que é o tirado da boca do cano. Após a prisão dos indivíduos e recuperação da arma, vamos fazer o teste de balística. Então a prisão será nos próximos dias”, finalizou.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas