Deputados cobram explicação sobre devolução de R$ 100 mil imprimir publicado em: 31 / 08 / 2016

ThemistoclesO fato de o deputado Dr. Pessoa (PSD) ter dito, durante seu programa eleitoral gratuito, na TV, que foi o único deputado que devolveu cem mil reais aos cofres da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí (Alepi), provocou questionamentos durante a sessão de hoje, quarta-feira, 31, no plenário da Casa. Questionamentos esses, que foram levantados pelo deputado Robert Rios Magalhães (PDT).

O parlamentar disse que está preocupado com o horário político e com a imagem da instituição, já que ele, Robert Rios, nunca devolveu cem mil reais para a Alepi, porque ele nunca recebeu essa quantia.

“Eu não devolvi, porque nunca recebi”, afirmou o parlamentar, que perguntou, diretamente ao presidente da Casa, Themístocles Filho, que presidia a sessão, se ele, presidente, tinha pago cem mil reais ao Dr. Pessoa ou se o Dr. Pessoa estava faltando com a verdade.

Robert Rios disse ainda que recebeu vários telefonemas de amigos e parentes, questionando o porquê de ele, Robert Rios, não ter devolvido esse valor, para a Alepi, e que também consultou vários colegas parlamentares e nenhum deles recebeu essa quantia da Alepi.  “Senhor presidente, eu quero saber porque é que ele, Dr. Pessoa, devolveu esse dinheiro. Porque é gravíssimo. Ou o senhor, indevidamente, deu ao Dr. Pessoa, cem mil reais ou ele está faltando com a verdade no programa eleitoral. Quero saber de Vossa Excelência, que história é essa, senhor presidente?”.

Presidente explica que não houve devolução

O presidente Themístocles Filho (PMDB) respondeu, prontamente, ao deputado Robert Rios, enfatizando que a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, nunca pagou ao deputado Dr. Pessoa e a nenhum outro deputado da Casa, a quantia de cem mil reais e que o Dr. Pessoa nunca devolveu, sequer, Um real para a Casa.

“O cidadão, às vezes, não sei qual é a motivação dele, porque acha que isso sensibiliza  eleitores, mas isso é ruim para o parlamento estadual. É bom a gene falar a verdade. O Dr. Pessoa nunca devolveu um real para a Assembléia Legislativa do Estado do Piauí. Eu gostaria que ele mostrasse um documento e ou recido, de que devolveu um real para a Assembleia. E nunca o deputado Themístocles Filho, pagou a ele ou a nenhum outro deputado dessa Casa”, reafirmou o presidente da Alepi. O parlamentar também pediu ao deputado Dr. Pessoa que apresente um recibo, de que devolveu cem mil reais para a Alepi.

Evaldo Gomes (PTC) disse também que recebeu inúmeros telefonemas de pessoas, perguntando se ele, Evaldo Gomes, tinha recebido a quantia de cem mil reais da Alepi.

O parlamentar fez elogios ao presidente da Casa, Themístocles Filhos e disse que tem absoluta certeza da integridade do presidente em relação ao fato. “Eu sei do caráter de Vossa Excelência e sei que isso nunca aconteceu, na Assembléia. O Dr. Pessoa deveria, então, apresentar um documento que comprove, que ele devolveu, para a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, a quantia de cem mil reais. Fui questionado pela população e respondi que não tenho conhecimento desse dinheiro”, ressaltou Evaldo Gomes.

Dr. Pessoa diz que houve engano e pede desculpas

O Dr. Pessoa pediu a palavra e fez sua defesa, dizendo que na realidade, ele não devolveu cem mil reais para a Assembleia do Estado do Piauí e sim que ele, como parlamentar, tinha direito aos cem mil reais, mas não usou. “Eu não solicitei, porque eu iria usar, de maneira irregular, esses cem mil reais, porque a verba de gabinete que foi destinada para mim, foi o suficiente para eu não usar esses cem mil reais”, respondeu.

O deputado Themístocles Filho voltou a dizer que nenhum deputado tem verba de cem mil reais e explicou que o cidadão tem a verba indenizatória, para ser usada em serviços de trabalho parlamentar, o que é regulamentado. E disse ainda que só é possível utilizar essa verba com anota fiscal, e se o cidadão não apresentar a nota fiscal é porque ele não gastou. “Essa informação que o Dr. Pessoa está dando, é uma informação que mexe com os deputados e não é verdadeira e sai para a opinião pública, como sendo verdadeira. Se o deputado alugou um carro ou um avião, por exemplo, e não apresentou a nota fiscal, ele não recebe essa verba indenizatória”, reafirmou Themístocles Filho.

O Robert Rios pediu novamente a palavra, para explicar detalhadamente, sobre o uso da verba indenizatória e disse que a maioria dos deputados não faz uso dessa verba. “O deputado usa do próprio bolso, no legítimo exercício do seu mandato, pega a nota fiscal do comprovante do seu gasto, apresenta à Mesa da Assembleia  e ele é ressarcido”, disse Robert Rios.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas