Dono de creche-escola é condenado a 34 anos de prisão por estupro imprimir publicado em: 14 / 06 / 2018

escola minos e minasA Justiça condenou a 34 anos e oito meses de reclusão o proprietário da creche Minos e Minas, Antônio Monteiro Neto Filho, acusado de estupro de vulnerável, praticado dentro das dependências da escola. A decisão é do juiz Raimundo Holland Moura de Queiroz, titular da 6ª Vara Criminal. A pena deverá ser cumprida em regime fechado em local designado pela Vara de Execuções Penais.

Antônio Monteiro Neto Filho encontra-se preso desde janeiro deste ano, quando surgiam as acusações de que crianças que estudavam na creche Minos e Minas estariam sendo abusadas sexualmente. No entendimento do magistrado, as denúncias oferecidas pelo Ministério Público, de que o réu cometeu pelo menos três estupros de vulneráveis, foram julgadas procedentes.

Ainda cabe recurso á sentença do juiz Raimundo Holland, mas o magistrado destacou que Antônio Neto permanecerá preso mesmo enquanto este recurso é julgado. Em sua sentença, o titular da 6ª Vara Criminal discorre: “O sentenciado não poderá apelar em liberdade, eis que não estão presentes os requisitos autorizadores para tal benefício. No caso em tela, ficou claramente demonstrado que o crime existiu e há indícios suficientes de que o réu é autor desse crime.”

No entendimento de Raimundo Holland,caso seja posto em liberdade, Antônio Monteiro Neto poderá prejudicar o andamento do processo e a aplicação da pena. O magistrado afirma: “Além disso, sem esta prisão, haverá prejuízos para a efetivação do poder público em sua busca para cumprir a lei punitiva, restando sua prisão imprescindível para a escorreita prestação jurisdicional”.

Como o réu, e agora sentenciado, encontra-se preso desde o dia 26 de janeiro deste ano, ou seja, há quatro meses e 17 dias, o juiz decidiu que a pena final aplicada levará em conta este período de reclusão. Isso implica dizer que o dono da creche Minos e Minas permanecerá preso por 34 anos, três meses e 13 dias.

O Portal O Dia tentou contato com a defesa de Antônio Monteiro Neto Filho, que está sendo feita pelo advogado Nazareno Thé. As ligações no celular do advogado não foram atendidas, bem como as ligações feitas no fixo de seu escritório.

Entenda

As investigações da polícia a respeito das denúncias de estupro de crianças na Creche-Escola Minos e Minas, localizada no bairro Ilhotas, iniciaram em novembro do ano passado, após provocações do Conselho Tutelar de Teresina. As informações davam conta de que pelo menos três crianças teriam sido abusadas pelo diretor, Antônio Monteiro Neto Filho.

No dia 26 de janeiro deste ano, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima (DPCA) cumpriu mandado de prisão preventiva contra o proprietário da creche-escola. Ele foi detido em sua própria residência, como suspeito de estupro de vulnerável. À época, o delegado Jetan Pinheiro, gerente de policiamento especializado, informou que os estupros aconteciam na sala do diretor. “Ele tirava as meninas de dentro da sala e praticava o ato. Não houve conjunção carnal, mas isso não importa, pois elas eram menores de 12 anos e passar a mão pelo corpo delas já se configura estupro de vulnerável”, afirmou.

As vítimas foram ouvidas à época pela polícia, assim como os pais e os professores da escola. As crianças também fizeram o exame lúdico-terapêutico, realizado por uma psicóloga especializada.

portalodia.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas