Eleito melhor na seleção sub-20 não volta ao Tricolor imprimir publicado em: 22 / 08 / 2011

henrique

Henrique foi eleito o melhor jogador do Mundial Sub-20 disputado na Colômbia (Foto: Reuters)

Acabou a relação entre o atacante Henrique e o São Paulo. Por ordem de seu empresário, Giuliano Bertolucci, o jogador não deverá se reapresentar ao Tricolor na tarde desta segunda-feira, data combinada para que ele, Bruno Uvini, Casemiro e Willian José comecem a trabalhar sob comando do técnico Adilson Batista após a disputa do mundial da Colômbia pela Seleção Brasileira sub-20. E o jogador buscará na Justiça a quebra do contrato que tem validade até o dia 30 de julho de 2013.

Os representantes do atleta usarão desta vez parte da estratégia que foi utilizada com Oscar, que também era empresariado por Bertolucci e se livrou do Tricolor no ano passado por decisão judicial. Esse processo ainda corre no Tribunal em Brasília e só deverá ser julgado no ano que vem.

Quando assinou o seu contrato, Henrique tinha 17 anos e foi emancipado pelo clube. Só que os advogados do jogador vão alegar que o vínculo do atleta é maior do que o que a lei permite. O São Paulo firmou um acordo de cinco temporadas, enquanto que o prazo máximo seria de três anos. Com isso, o contrato teria sido encerrado no dia 30 de julho. A Justiça irá decidir quem tem razão. No caso de Oscar, além da emancipação, o São Paulo atrasou o pagamento da diferença do salário entre o vínculo antigo e o novo.

– Estou sem contrato com o São Paulo, para mim já é passado. Agora é comemorar e descansar. Entendo que essa minha trajetória na seleção possa me ajudar a conseguir coisas melhores para mim – afirmou o jogador, após o desembarque do grupo campeão na manhã deste domingo.

O São Paulo, por sua vez, diz que não quer briga e espera pela volta do atleta. Mas deixa claro que, se for necessário, vai procurar a Justiça para fazer valer o seu direito.

– O Henrique tem contrato em vigência, o São Paulo sempre cumpriu suas obrigações e espera que ele se reapresente nesta segunda-feira com os demais atletas. Se isso não acontecer, não será mais problema do vice-presidente de futebol e sim, do departamento jurídico – afirmou João Paulo de Jesus Lopes.

Revelado nas categorias de base do São Paulo, Henrique nunca teve uma sequência de jogos na equipe profissional. E, nas poucas chances que teve, nunca teve desempenho de destaque. Em 2010, foi emprestado para o Vitória (BA) para ganhar experiência e retornou no início do ano. No total, disputou 23 partidas pelo e marcou três gols.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas