Elmano Férrer critica a distribuição de verbas do Governo Federal imprimir publicado em: 20 / 10 / 2016

Elmano FerrerO senador Elmano Férrer (PTB) discursou no Senado nessa quarta-feira, dia 19, Dia do Piauí, chamando a atenção para as demandas do Estado. De acordo com o parlamentar, o Piauí deixou de ser refém da vocação para a agricultura e pecuária de subsistência e passou a ter vocação em desenvolvimento nas áreas industrial e tecnológica, possibilitando assim maior desenvolvimento.

“Somos um polo respeitado em saúde. Temos um dos melhores sistemas de ensino do país, como mostram os resultados do Enem, em que nossas escolas sempre ocupam posição de destaque. Mas o Piauí precisa de muito mais. Precisa, sobretudo, de uma maior atenção por parte do governo federal”, afirmou o senador.

Durante o pronunciamento, Elmano ressaltou que “há muitos anos repito que o Brasil tem uma dívida histórica com o Piauí. Nosso estado tem ficado à margem dos grandes investimentos em infraestrutura no país. Lamentavelmente, tantas mazelas são o resultado do esquecimento a que sempre fomos relegados. O reflexo direto desse esquecimento é a grande quantidade de municípios no estado com índices de desenvolvimento humano muito abaixo da média nacional”.

Elmano chamou atenção também para os critérios usados para investimento. “A verdade é que os investimentos no Brasil ao longo dos anos não foram pautados levando-se em conta o IDH dos estados e municípios. E este deveria ser um critério preponderante na definição e no planejamento das políticas públicas, pois seria um caminho na direção do equilíbrio entre os entes federativos, do combate às desigualdades de nosso país e da promoção da justiça social”, avaliou o parlamentar.

Além dos potenciais não desenvolvidos, o senador tratou ainda sobre a questão da seca e projetos. “Temos concentrado esforços junto ao governo federal na busca de apoio a diversas ações que trarão dignidade, segurança e qualidade de vida ao povo piauiense. É o caso, por exemplo, da proposta de implantação da adutora do sertão, que livrará 51 municípios do semiárido da dependência de carros-pipa, levando água de excepcional qualidade a 600 mil piauienses sedentos de justiça social. uma vez implantada, esta adutora representará o fim do problema secular da seca no sertão piauiense, e estaremos diante do resgate da dívida histórica do Brasil com o nosso Piauí”, informou Elmano.

O parlamentar finalizou ressaltando a necessidade de apoio do Poder Público. “O maior patrimônio de uma nação é o bem-estar do seu povo. e o povo piauiense precisa do apoio decisivo do poder público para superar as barreiras ao seu desenvolvimento e, enfim, cumprir seu destino de explorar seu imenso potencial de crescimento”.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Uniao - Julho II

últimas