Em noite de emoção por Belfort, Amanda põe o cinturão em jogo imprimir publicado em: 12 / 05 / 2018

LutaA tradição de ser palco de eventos marcantes será mais uma vez mantida no Rio de Janeiro. Recebendo o UFC pela nona vez, a cidade será palco de mais um momento histórico do MMA. Após ter Anderson Silva, José Aldo e Ronda Rousey entre seus protagonistas, chegou a vez de receber a primeira brasileira campeã do evento em sua luta principal. A baiana Amanda Nunes, campeã peso-galo do UFC, colocará seu cinturão em jogo pela terceira vez, contra a amiga – e agora rival – Raquel Pennington. Enquanto a “Leoa” segue sua carreira a todo vapor, uma lenda do esporte escolheu a mesma noite para pendurar as luvas. Vitor Belfort, único remanescente de sua geração ainda em atividade, se apresentará pela última vez no UFC justamente na cidade na qual começou a lutar. O adversário não poderia ser melhor: o amigo e também ex-campeão do UFC Lyoto Machida.

Amanda Nunes põe amizade de lado: “A cinta fica aqui”

Amiga pessoal de sua adversária desta noite, Amanda Nunes fez questão de deixar claro que, quando a grade do octógono for fechada, cada uma lutará pelo que deseja: o cinturão do UFC. Vinda de três vitórias consagradoras, contra ninguém menos que Miesha Tate (finalização), Ronda Rousey (nocaute) e Valentina Shevchenko (pontos), a “Leoa” mostra estar em uma fase exuberante. Mesmo sofrendo para bater o limite de peso da categoria (61,2kg), a baiana deixou claro que sua vontade é seu maior trunfo para vencer.

– Vou dizer uma coisa: a cinta fica aqui. Ela é do Brasil e vai continuar sendo. Nós somos amigas, mas agora estamos mais distantes, porque é o nosso trabalho e queremos a mesma coisa. Depois daqui podemos sair, voltar a ser amigas como sempre fomos. Mas agora é guerra, e na minha casa ninguém vai me vencer. Lutei duas vezes aqui no Rio, e venci as duas. Não vai ser diferente na terceira.

Raquel Pennington também demonstrou respeito pela amiga e rival, e admitiu que precisará estar na melhor noite da sua vida para descer do octógono com o cinturão no ombro.

– Para vencer Amanda eu terei que vencer uma versão melhorada de mim mesma. Tenho confiança no que eu posso levar para o octógono, e darei tudo que eu tenho para ser a nova campeã. Estou lutando na casa dela, diante de sua torcida, família e amigos. Sei o que me espera, mas também sei o que fazer para vencê-la.

SporTV


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas