Empresa do lixo, em Cocal de Telha, “funciona” em salão de beleza imprimir publicado em: 25 / 04 / 2016

Ana Celia

Prefeita de Cocal de Telha, Ana Célia

A prefeita de Cocal de Telha (a 116 quilômetros de Teresina), professora Ana Célia (PP), está sendo investigada pelo Tribunal de Contas do Estado, acusada de decretar estado de calamidade, para contratar (sem licitação) uma empresa que deveria fazer a coleta do lixo na cidade. A contratada recebeu o pagamento, a limpeza não foi realizada e o TCE já constatou que no endereço da empresa funciona é um salão de beleza.

A denúncia chegou até o Tribunal de Contas do Estado, através do Sindicato dos Servidores Municipais de Cocal de Telha. O conselheiro relator do caso é Kleber Eulálio. A denúncia já foi acatada, por unanimidade. Célia deverá sofrer multa e deverá cancelar o contrato com a empresa Francisco Valdir Lopes Barbosa-ME.

Ana Célia, segundo ainda o TCE, depositou na conta da empresa o valor de R$ 30.133 (trinta mil cento trinta e três reais) pela limpeza pública em Cocal de Telha. Na denúncia (acatada pelo tribunal), o Sindicato dos Servidores Municipais juntou fotos das ruas sem limpeza, o que estaria caracterizado pagamento por serviço não executado.

Ainda no processo, consta visita ao endereço da referida empresa. Lá, funciona um salão de beleza, que faz limpeza, mas de pele, não limpeza pública.

O decreto de emergência no município é do dia 02 de janeiro de 2013. Em ato posterior, já no dia 11 do mesmo mês, a empresa foi contratada sem o processo de licitação.

PortalAZ


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas