Empresário e servidores da Semar são presos; veja nomes imprimir publicado em: 30 / 08 / 2018

semarOs delegados Riedel Batista (geral), Rejane Piauilino (Greco) e Willame Morais (coordenador do Greco) garantiram em coletiva no final da manhã desta quinta-feira (30) que presos da operação de hoje recebiam propina para expedir licença ambiental no estado. Seis pessoas foram presas, entre elas o superintendente da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Carlos Moura Fé.

Na coletiva, os delegados informaram que não podiam contar detalhes sobre as supostas fraudes e corrupção em licenciamento ambiental, já que a ação ainda está sob sigilo, por determinação da juíza da 4ª Vara Criminal.

Segundo o delegado Willame Morais, a polícia tem vasto material que comprovam a participação dos presos. Houve quebra de sigilo bancário, telefônico e fiscal.

A operação desencadeada hoje teve como alvo quatro empresários do ramo de carvoarias e de plantação de eucalipto e três servidores da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar).

“Alguns empresários tinham acesso aos servidores da Semar que recebiam propinas em troca de facilidade nos licenciamentos nas áreas de carvoarias e plantação de eucalipto”, explicou a Rejane Piauilino.

policia na semar

O delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, afirmou que os “servidores era coptados dentro das suas respectivas áreas, de carvoarias, plantações, comercialização de objetos que necessitam de licenciamento por meio de pagamento monetário”.

A delegada Rejane ressaltou que a operação ainda está em andamento. Todo o material coletado será verificado. As apreensões ocorreram em dez endereços relacionados aos presos.

O coordenador da Greco, delegado Willame Moraes, confirmou a prisão de sete pessoas, entre empresários e servidores ligados a Semar. Os presos foram identificados como Carlos Moura Fé (superintendente da Semar), Fabrício Andrade (auditor ambiental), Daniele Melo (auditora ambiental), Carlos Alberto do Prado Tenório (empresário), Tiago Junqueira (empresário), Ivoneta Gontijo (empresária) e César Moura Fé (empresário).

“Dos sete, seis foram presos no Piauí e um em Brasília. Daniele estava em um curso em Brasília e nós tivemos a ajuda da polícia de lá para dar cumprimento ao mandado”, disse o delegado  Willame.

O delegado comentou que há muitas provas que comprovem o esquema de corrupção, mas aguarda a decisão do Poder Judiciário para divulgar como todo o processo ilegal ocorria.

“Nós temos várias provas dentro do inquérito policial, mas estamos aguardando a decisão judicial para expor a sociedade”, contou o delegado, acrescentando que parte da investigação permanece sob sigilo.

A operação contou com o apoio de órgãos fiscalizadores, como o Tribunal de Contas do Piauí, o Ministério Público do Piauí, e de instituições financeiras.

Lista dos mandados de prisão temporária:

Carlos Antônio Moura Fé – superintendente do Meio Ambiente da Semar
Fabrício Napoleão Andrade – auditor ambiental Semar
Daniele Melo Vieira – auditor ambiental Semar
Carlos Alberto do Prado Tenório – empresário
Tiago Maximiano Junqueira – empresário
Ivoneta Gontijo dos Santos – empresário
Cézar Luis Barros dos Matírios Moura Fé – empresário

Governo envia nota

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) informa que está colaborando plenamente com a investigação em curso da Polícia Civil do Estado do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), que investiga crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais.

As ações dos investigados ocorrem desde 2012 e a Semar se coloca à total disposição para esclarecer quaisquer questionamentos, sempre visando à transparência e o correto funcionamento da administração pública.

Cidadeverde.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas