Empresário que assediou mulher na Rússia culpa o álcool e pede perdão imprimir publicado em: 19 / 06 / 2018

assedioO empresário piauiense Luciano Gil Mendes Coelho, terceiro homem identificado no vídeo em que brasileiros aparecem assediando uma mulher na Rússia, pediu desculpas a todas as mulheres e disse que o álcool foi o responsável pela sua atitude. “Toda mulher tem um pedido de desculpas por minha parte. O álcool a mais aconteceu de cometer isso”, afirmou.

Luciano também contou que está sofrendo ameaças devido à repercussão das imagens e se defendeu argumentando que não conhecia os outros homens. “Eu estava chegando naquela brincadeira, não conhecia ninguém ali. Eu não gravei isso. Foram outras pessoas, até mesmo os russos”, respondeu.

No vídeo,o grupo de seis torcedores brasileiros aparece ao redor de uma mulher de nacionalidade não identificada, que demonstra não compreender o português. Eles pulam, riem e dizem palavras de cunho sexual. O empresário, natural da cidade de Jaicós, a 364 km de Teresina, está vestindo uma blusa preta e segura o celular na mão, como se estivesse fazendo uma selfie ou gravando um vídeo.

Luciano Gil é ex-inspetor do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI) e já foi detido pela Polícia Federal em uma operação que tinha como objetivo desarticular um esquema de desvio de dinheiro público por meio da fraude em licitações na prefeitura de Araripina, Estado do Pernambuco, em maio de 2015.

Na ocasião, a PF informou que havia um acordo entre as empresas para fraudar as licitações. Com a assinatura do contrato, a vencedora não executava a obra, mas sim as empresas que pertenciam a parentes de algum políticos. De acordo com a PF, outras ilegalidades também foram identificadas na investigação.

Identificados

O primeiro identificado foi o ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE), Diego Valença Jatobá, que teve pedido de bloqueio de conta por dever pensão alimentícia e foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco por irregularidade em contratos da secretaria.

O segundo homem reconhecido no vídeo é Eduardo Nunes, policial militar em Lages (SC). Em nota, a Polícia Militar afirma que a corporação abrirá um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta irregular do militar.

portalodia.com

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas