15 / 07 / 2014 - atualizada em 15 de julho de 2014
  • Jogadores da Alemanha brincam e puxam a festa do título com multidão
  •  

    torcidaCerca de 400 mil torcedores largaram trabalho, escola ou qualquer outro dever para receber a seleção alemã campeã da Copa do Mundo, na manhã desta terça-feira, em Berlim. E nem se incomodaram com o atraso na programação e a espera de quase cinco horas de pé só para verem os craques responsáveis pela façanha no Brasil.

    Todos os protocolos foram quebrados para a realização de uma festa inesquecível aos alemães. O evento teve direito até a uma parte do agradecimento em português. Em uma faixa exibida pelos jogadores, estava escrito “obrigado fans”.

    Na chegada a Berlim, o voo da seleção mudou de rota e deu praticamente um rasante na multidão que já esperava pelos campeões no Portão de Branderburgo, onde uma série de shows com artistas locais.

    - Eu fiquei arrepiada, nunca vou esquecer desse momento, que coisa mais linda – disse uma torcedora.

    - Deus do futebol! Deus do futebol! – gritava a multidão

    Depois foi a vez do goleiro Manuel Neuer, um dos preferidos dos alemães tomar conta da bagunça. Primeiro, o arqueiro pediu silêncio, e depois puxou mais um grito de celebração ao título. Götze, Schweinsteiger e Müller foram os mais aplaudidos pelo público. O último, artilheiro da Alemanha nesta Copa com cinco gols, foi o responsável por puxar a tradicional ‘Humba’, dança de celebração das vitórias alemãs.

    Em um momento engraçado, quando foram chamados ao palco, Müller, Hummels, e mais alguns jogadores, entraram de cabeça baixa e em silêncio, foram até o limite, onde estava o público, e se jogaram no chão. No meio deles, escondido, estava o baixinho Philip Lahm, capitão do time, com a taça. A torcida enlouqueceu. A festa foi perfeita, à altura do futebol apresentado pela Alemanha no Brasil, e merecida, pelo quarto título do país na Copa do Mundo.

    template

    14 / 07 / 2014 - atualizada em 14 de julho de 2014
  • Joseph Blatter fica surpreso com eleição de Messi como craque da Copa
  •  

    Joseph BlatterNem o presidente da Fifa, Joseph Blatter, entendeu direito a eleição de Lionel Messi como craque da Copa do Mundo de 2014. Nesta segunda-feira, em cerimônia de balanço do Mundial no Maracanã, o líder da entidade que rege o futebol mundial foi convidado a opinar sobre a escolha. E se mostrou surpreso.

    Blatter riu ao receber a pergunta. E brincou:

    - Devo ser diplomático?

    Acabou sendo sincero. Mesmo assim, o dirigente valorizou a atuação do argentino na Copa.

    - Eu mesmo fiquei um pouco surpreso quando vi que Messi foi eleito o melhor jogador. Mas se você pensar no começo do torneio, em que a Argentina fez seu caminho até a final, se olhar os gols marcados por Messi em diferentes momentos, eles foram gols decisivos. Foi uma decisão…

    A escolha é feita após análise do Grupo de Estudos Técnicos da FIFA (TSG, na sigla em inglês). A Fifa, constrangida com os questionamentos à escolha, admite que vai repensar os métodos da eleição e os diferentes pesos dados a cada ponto levado em consideração na hora de se escolher o melhor da Copa.

    14 / 07 / 2014 - atualizada em 14 de julho de 2014
  • Torcedor invade campo durante final da Copa, mas TV ‘esconde’ a cena
  •  

    invasorMais uma pessoas querendo aparecer para o mundo invadiu o gramado do estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, na final da Copa do Mundo realizada no último domingo (13/07), no Rio de Janeiro. Estima-se que um bilhão de pessoa assistiam o jogo, mas ninguém viu a ação inesperada do humorista russo Vitaly Zdorovetskiy, que aconteceu ao 37 minutos do segundo tempo.

    O invasor conseguiu correr por alguns metros, tentou beijar o zagueiro alemão Höwades, mas acabou sendo contido pelos seguranças da Fifa e retirado imediatamente do campo de jogo. O astro da NBA LeBron James, que assistia à final da Copa, gravou a invasão de campo e postou nas redes sociais.

    Vitaly escreveu no peito a expressão “Natural Born Prankster” (brincalhão nato, em português), nome de um filme do qual ele participa.

    Ontem, em sua conta no Twitter, o humorista chegou a avisar que iria aprontar algo. “Vejo vocês amanhã na TV. Alemanha vs Argentina”, escreveu um dia antes do jogo. Já neste domingo, ele postou: “Hoje é um grande dia para mim”.

    inasor

    [jwplayer mediaid="81989"]

    14 / 07 / 2014 - atualizada em 14 de julho de 2014
  • Löw agradece Brasil, Klinsmann e ressalta dedicação: “10 anos de trabalho”
  •  

    O técnico Joachim Löw foi premiado com o seu trabalho. À frente da seleção desde 2006 ele conseguiu o tetracampeonato para a Alemanha ao ver seu time vencer a Argentina por 1 a 0 na prorrogação neste domingo, no Maracanã.

    JoachimPor causa desse planejamento e da manutenção do trabalho apesar de algumas derrotas em competições como Eurocopa e Copa de 2010, ele agradece ao voto de confiança que teve e dá os parabéns para jogadores, comissão técnica e não esqueceu de Klisnamnn, seu antecessor e, hoje, técnico dos Estados Unidos.

    “Estamos juntos há 55 dias e esse é o resultado de anos de trabalho, começando com o Klismann. Progredimos constantemente, apesar de não termos dado esse passo antes. Trabalhamos muito para isso e, se tem alguém que merece, é esse time com Podolski, Neuer e etc… Eles estão com a gente. Ficamos triste porque jogamos bom futebol e eles mereciam. Nesta Copa, mostramos o melhor. São 10 anos de trabalho que estão aqui”, disse ele.

    “Temos o orgulho de ser o primeiro da Europa a vencer aqui na América Latina, justamente no país do futebol”, completou.

    Além de agradecer aos seus companheiros, Löw também disse um obrigado especial para os brasileiros que os fizeram se sentir em casa.

    “Acho que tivemos energia positiva e tínhamos simpatia. Isso foi um dos pontos altos em toda a minha carreira que depois de ganhar do brasil, contra o anfitrião, a tristeza foi grande no país e quando saímos do estádio e chegamos ao aeroporto, de repente, milhares de brasileiros estavam na calçada batendo palma para nós”, lembrou.

    “Quando chegamos ao nosso centro de treinamento vimos as pessoas na calçada segurando cartazes e bandeiras da Alemanha. Isso foi impressionante, indescritível.  Fizemos um excelente trabalho, com muitas pessoas, simpatia. Obrigado, Brasil”, completou.

    12 / 07 / 2014 - atualizada em 12 de julho de 2014
  • Brasil x Holanda: duelo marcante em Copas dá lugar a um jogo protocolar
  •  

    É uma pena para a Copa do Mundo, mas desta vez o duelo entre Brasil e Holanda não terá o mesmo glamour de outrora. A partida deste sábado, às 17h, no Mané Garrincha, em Brasília, não é quarta de final, não é semifinal, tampouco a decisão do Mundial. É apenas a disputa do terceiro lugar. O privilégio de jogar a final, domingo, no Maracanã, ficou para Argentina e Alemanha.

    scolariEm Copas do Mundo, a história registra quatro partidas entre brasileiros e holandeses. Todas importantes. A Holanda foi à final em 1974 e à semi em 2010 ao superar a Seleção. O Brasil, por sua vez, bateu o rival nas quartas da campanha do tetra em 1994 e na semifinal de 1998, nos pênaltis.

    Desta vez, no entanto, o cenário é diferente, carrega um indisfarçável ar de melancolia. Ainda mais para a seleção brasileira. O time de Luiz Felipe Scolari tenta juntar os cacos depois do maior vexame de sua história: a derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal. Vencer a disputa do terceiro lugar não vai apagar a humilhação, mas vai amenizar um pouco. Bem pouco.

    - Tivemos uma derrota ruim. Tivemos seis minutos em que nos deu uma pane geral. Agora temos de trabalhar para montar a equipe para sábado. É um jogo que passou a ser importante para nós. Terminar a Copa do Mundo em terceiro lugar agora é nosso novo sonho – declarou Luiz Felipe Scolari.

    Para a Holanda, estar na decisão de terceiro lugar é mais uma vez bater na trave. Três vezes vice-campeã do mundo (1974, 1978 e 2010), a seleção europeia fez uma ótima Copa. Parou apenas na Argentina, na decisão por pênaltis. E agora tenta, ao menos, terminar o torneio podendo dizer que, com a bola rolando, não perdeu para ninguém.

    Kuyt- Podemos voltar para casa sem ter perdido uma partida nesta Copa. Tudo é decepcionante, mas ainda há coisas a fazer aqui. Podemos ainda escrever história aqui. Não perdemos nenhuma partida ainda. Quero sair da Copa sem perder nenhum jogo. Espero que eu possa preparar meus jogadores para ganhar do Brasil e ficar em terceiro lugar. Desta forma estaríamos escrevendo a história do futebol holandês – disse o técnico Louis Van Gaal, que logo após a queda na semifinal, declarou que a disputa pelo terceiro lugar não deveria existir em Copas do Mundo.

    Mais do que conquistar o terceiro lugar da Copa, Brasil e Holanda vão precisar pensar em renovação para o Mundial de 2018, na Rússia. Principalmente a seleção brasileira, marcada por um vexame difícil de ser digerido.

    As equipes

    No único treino desta Copa do Mundo, Felipão ensaiou mudanças na seleção brasileira, apesar não tê-las confirmado posteriormente na entrevista coletiva. Treinou com Henrique no lugar de Thiago Silva, mas o capitão vai para o jogo. Além disso, Fernandinho, um dos piores em campo contra a Alemanha, foi para a reserva. Paulinho entrou. Willian ficou com a vaga de Bernard; Ramires, com a de Hulk, e Jô, com a de Fred.

    - Vou mexer em uma ou duas posições, até porque também têm jogadores que poderão ter sequência, pois jogaram pouco ou nem jogaram. Vou fazer uma ou duas colocações diferentes do time que iniciou com a Alemanha. Por necessidades vou fazer essas substituições. Uma que devo fazer é porque entendo que a colocação de um jogador em um determinado setor pode ser importante amanhã. Também por gostar do comportamento desse jogador – afirmou Felipão.

    Do lado laranja, no treinamento realizado sexta-feira, em Brasília, Van Gaal não deu qualquer pista sobre o time que mandará a campo. Uma possibilidade, porém, é repetir a formação que usou na semifinal, no esquema 5-3-2. Mas o lado psicológico também pode pesar:

    - O espírito nesta hora é mais importante e é mais forte que o corpo. Vou entrar em campo com a equipe que estiver melhor mentalmente preparada. Temos um dia a menos que o Brasil para se preparar e isso faz diferença. Por isso a mente é mais importante agora – avisou o técnico.

    11 / 07 / 2014 - atualizada em 12 de julho de 2014
  • Dona Lúcia quer ficar anônima ou não passa de invenção da CBF?
  •  

    parreiraA famosa carta de Dona Lúcia! Segundo Parreira, Dona Lúcia teria enviado um e-mail para a FIFA que foi repassado ao pessoal da Granja Comary. O site da Fifa disponibiliza a opção não só em inglês, mas em português também. Porém, além de ser extremamente difícil de encontrar o local do formulário, a federação deixa claro que “no momento, somente serão aceitas mensagens escritas em um dos quatro idiomas oficiais da FIFA (inglês, espanhol, francês e alemão)”.  Não foi o próprio Parreira que disse que a torcedora é “simples”? Com as atuais condições da educação brasileira, dificilmente uma senhora conseguiria navegar no site da federação e responder em outro idioma, a não ser em português. Se Dona Lúcia fosse anônima, eles não saberiam que ela é simples. Se fosse simples, eles saberiam quem ela é. As duas informações de Parreira se contradizem.

    A rapidez com a qual a palavra da torcedora chegou às mãos da equipe técnica é improvável. Com o volume de cartas que a seleção diz receber todos os dias — incluindo telegramas — ficaria difícil para Dona Lúcia conseguiu assistir ao jogo, ver a coletiva, escrever a carta.

    O momento era tão propício que chega a plantar uma pulga atrás das orelhas de quem ouviu Parreira ler a carta. Até hoje apenas se falou dessas mensagens, mas nunca ninguém mencionou nada sobre elas. Justo no momento em que a seleção e, sobretudo, a comissão técnica, precisam recuperar sua imagem, surge uma “torcedora simples, anônima e chamada Dona Lúcia” para salvar a pátria.

    CBF diz que Dona Lúcia quer anonimato

    Dona Lúcia pediu, e a CBF acatou – não vai revelar seus contatos nem sua identidade. A misteriosa mulher que escreveu uma carta de apoio para a seleção brasileira quer ficar no anonimato.

    No dia seguinte à eliminação do Brasil, quando Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira tentavam explicar o que eles próprios admitiram ser inexplicável (a derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo), o coordenador da seleção interrompeu a entrevista coletiva para ler uma carta de apoio ao treinador.

    Imediatamente, a autora da carta ganhou um perfil falso no Twitter e virou alvo do assédio de dezenas de jornalistas, que pediram seus contatos para a CBF. Dona Lúcia, então, escreveu outro e-mail para a assessoria de imprensa da confederação, pedindo que seu anonimato fosse mantido. A CBF atendeu.

    [jwplayer mediaid="81932"]

    Com informações do R7 e Bastidores FC

    11 / 07 / 2014 - atualizada em 11 de julho de 2014
  • Dois holandeses se negaram a bater primeiro pênalti contra a Argentina
  •  

    penaltisO técnico da seleção holandesa, Louis Van Gaal, revelou que dois jogadores de sua equipe se recusaram a cobrar o primeiro pênalti da decisão contra a Argentina, na última quarta-feira. A cobrança acabou sendo feita pelo defensor Vlaar, que desperdiçou.

    - Pedi a dois jogadores antes de pedir ao Vlaar, mas eles se negaram. O Vlaar acabou sendo a melhor opção, mas infelizmente acabou perdendo o pênalti – disse, de acordo com o Jornal Clarín.

    Em seguida, Van Gaal afirmou que tinha a intenção de trocar os goleiros (Cillessen por Tim Krul) novamente antes das cobranças de pênalti, mas não pôde realizar a sua vontade por já ter feito as três substituições.

    Fora da final, a Holanda decide neste sábado o terceiro lugar da Copa do Mundo com o Brasil, em Brasília.

    10 / 07 / 2014 - atualizada em 10 de julho de 2014
  • Hummels revela pacto de não humilhação: ‘Não queríamos ridicularizar o Brasil’
  •  

    HulmesPoderia ter sido muito pior. De acordo com uma entrevista concedida pelo zagueiro alemão Mats Hummels ao jornal inglês “Daily Mirror”, no intervalo do jogo, a seleção germânica teria feito um pacto para não humilhar o Brasil.

    Naquela altura, a vaga na grande final da Copa do Mundo já estava encaminhada com 5 a 0 no placar, mas os jogadores se reuniram e decidiram “tirar o pé” para “respeitar” o anfitrião.

    — Ficou bem claro que teríamos de continuar concentrados, jogar de forma séria e procurar não humilhar a Seleção Brasileira. Quando se está em campo, temos de mostrar respeito pelo adversário e foi muito importante que assim tenha sido, sem embarcar em brincadeiras ou algo do gênero. Não queríamos ridicularizar o Brasil – teria dito o zagueiro do Borussia Dortmund.

    Hummels, um dos principais nomes da Alemanha neste Mundial e autor do gol que levou os alemães para a semifinal no jogo com a França, é dúvida para o final da Copa do Mundo. Ele saiu do confronto contra o Brasil no segundo tempo com uma lesão no joelho e ainda não sabe se vai se recuperar a tempo. Mertesacker entrou em seu lugar e deve ser o escolhido para jogar contra a Argentina, caso o titular não tenha condições de jogo.

    10 / 07 / 2014 - atualizada em 10 de julho de 2014
  • Técnico Felipão reclama de ‘amarelada’ dos atletas no jogo contra Alemanha
  •  

    Diante dos microfones, Felipão adotou um discurso político, assumindo a culpa pelo vexame de terça-feira e atribuindo a goleada por 7 a 1 sofrida pela seleção brasileira a uma pane de seis minutos — que valeram quatro gols aos alemães.

    FelipePorém, o treinador afirmou a um amigo da época do Palmeiras que a catástrofe na semifinal do Mundial ocorreu por causa da amarelada dos jogadores.

    “Eles se assustaram por terem de enfrentar a Alemanha numa decisão de Copa sem o Neymar e o Thiago Silva”, afirmou o gaúcho, segundo o amigo, em um contato telefônico diretamente da Granja Comary, em Teresópolis, durante o dia de ontem.

    Na ligação, Felipão ainda teria admitido que a responsabilidade de jogar pelo título em uma Copa do Mundo no Brasil mexeu negativamente com quase todos os 23 convocados.

    As exceções foram o zagueiro David Luiz, o volante Luiz Gustavo e Neymar. “Mas, agora, Inês é morta”, completou o parceiro de Felipão.

    Durante esta Copa do Mundo, em conversa com seis amigos jornalistas, o treinador já havia confidenciado que trocaria um dos 23 jogadores chamados, se pudesse voltar no tempo. Na oportunidade, ele justificou que não estava gostando do comportamento do atleta fora de campo.

    10 / 07 / 2014 - atualizada em 10 de julho de 2014
  • Van Gaal detona duelo pelo 3º lugar da Copa: “Nunca deveria ser jogado”
  •  

    No que dependesse do técnico Louis van Gaal, a Holanda já estaria no caminho de casa depois da derrota nos pênaltis para a Argentina, pela semifinal da Copa do Mundo. O treinador fez duras críticas à realização da partida que vale o terceiro lugar do Mundial, contra o Brasil, sábado, às 17h (de Brasília), no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

    Gaal- Acho que esse jogo nunca deveria ser jogado. Digo isso há 10 anos, mas, enfim, vamos ter de jogar. É injusto também porque temos um dia a menos para nos recuperar (em relação ao Brasil), isso não é fair play. Não são condições justas de jogo, mas o pior de tudo é que você tem a possibilidade de perder duas vezes seguidas – esbravejou.

    Van Gaal entende que a Copa do Mundo deveria acabar para as seleções que perdessem na semifinal. Segundo ele, uma nova derrota na decisão do terceiro lugar atrapalharia a avaliação de um time que conseguiu ficar entre os quatro melhores em uma competição com 32 participantes.

    - Num torneio em que você jogou tão bem, acaba voltando para casa como um perdedor. Em qualquer torneio de futebol, principalmente nas etapas finais, não se deveria ter de passar por isso. Não deveria jogar pelo terceiro e quarto lugares. Só há um prêmio, que é a taça.

    A campanha da Holanda chega a ser surpreendente para uma seleção que passou por uma renovação após o vice na África do Sul, há quatro anos. Na primeira fase, se vingou da Espanha (5 a 1) e ainda venceu Austrália (3 a 2) e Chile (2 a 0). Já nas oitavas, virou nos minutos finais contra o México (2 a 1) e bateu a Costa Rica nos pênaltis (0 a 0 no tempo normal), nas quartas.

    Como terá de cumprir o regulamento, a Holanda permanecerá por mais algumas horas em São Paulo. Os jogadores treinarão no Pacaembu por volta da hora do almoço e, à noite, viajam para Brasília.

    - Vamos fazer de tudo para conseguir o terceiro lugar – disse o zagueiro De Vrij.

1 de 2712345...1020...»