“Estamos devastados”, afirma Marcelo Serrado sobre a morte de Montagner imprimir publicado em: 16 / 09 / 2016

serrado

Marcelo Serrado e Domingos Montagner posam juntos no lançamento de “Velho Chico”

Marcelo Serrado lamentou a morte de Domingos Montagner, vítima de afogamento nesta quinta-feira (15) após um mergulho no rio São Francisco. O ator, que ajudou nas buscas para encontrar o corpo do intérprete de Santo, de “Velho Chico”, disse em seu Instagram que é inacreditável tudo o que aconteceu.

“Queridos, não há palavras pra descrever o que sentimos. A vida e a arte às vezes andam juntas. Inexplicável o que aconteceu hoje do nosso lado. Estamos devastados como todo o Brasil e penso que temos que dizer para todos que estão ao nosso lado como amamos cada uma dessas pessoas, pois num piscar dos olhos o ‘homi’ nos chama! Me pergunto por que? Auge da vida, grande ator, pai, todos amavam! Por que? Como acreditar? Que Deus e Rio São Francisco levem nosso amor com ele! Inacreditável”, escreveu Serrado na madrugada desta sexta.

O ator, que interpreta o deputado Carlos Eduardo, estava hospedado com Domingos Montagner, Camila Pitanga e outros atores da novela em um hotel na Cidade de Canindé de São Francisco, em Sergipe, onde a equipe gravava as cenas finais da novela. Edmara Barbosa, filha de Benedito Ruy Barbosa, e co-autora das primeiras fases de “Velho Chico”, contou ao jornal Extra que assim que Serrado ficou sabendo do acidente, correu para o local e ajudou nas buscas a bordo de um barco.

O laudo da necropsia realizada no corpo de Domingos Montagner confirmou que o ator morreu por asfixia mecânica por afogamento e tinha ferimentos superficiais na região do tórax devido ao contato com madeiras e pedras, informou José Aparecido Batista Cardoso, diretor do IML (Instituto Médico Legal) de Aracaju (SE).

Montagner estava desaparecido desde as 14h30 de quinta e teve o corpo encontrado por volta das 18h, preso nas pedras a 18 metros de profundidade, perto da Usina de Xingó. Ele havia gravado cenas da novela pela manhã e como tinha o dia de folga foi com a colega Camila Pitanga almoçar na cidade de Canindé do São Francisco. Segundo o delegado da cidade, Antônio Francisco Oliveira Filho, Pitanga revelou em depoimento que, depois de almoçar, ela e Montagner resolveram mergulhar no rio, num local conhecido como prainha do Canindé.

Em depoimento a polícia, Pitanga relatou que se salvou porque conseguiu se segurar em uma pedra. “Com uma mão ela segurava a pedra, com outra segurava ele, até que ela cansou e a correnteza o levou”, explicou o comandante do Corpo de Bombeiros de Sergipe, Reginaldo Dória.

uol.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Vale

últimas