Ex-terceirizados do TJ/PI cobram direitos por demissão imprimir publicado em: 03 / 12 / 2017

TJPIEx-funcionários da SERGESEG Vigilância e Transporte de Valores LTDA que prestavam serviços de vigilância armada em comarcas do Tribunal de Justiça do Piauí denunciam a empresa pelo não pagamento de indenizações após demissões.

Entenda o caso

Recentemente a SERGESEG perdeu contrato para outra empresa e deixou de prestar serviços de segurança em 25 comarcas do TJ/PI. Como consequência a empresa demitiu 99 funcionários que faziam a escolta armada dos locais. Após dois meses das demissões nada foi resolvido, segundo denúncia de um dos ex-trabalhadores afetados, que não quis se identificar.

“A empresa perdeu o contrato para outra organização chamada Brasão e todos nós fomos demitidos. Depois disso a empresa não nos chamou para assinar a homologação porque diziam que o Tribunal de Justiça é quem iria pagar nossas homologações. Só que o Tribunal falou que repassou o valor de aproximadamente R$ 1 milhão e 400 mil para pagar nossos direitos. Já se passaram dois meses e não recebemos nenhum tipo de indenização e como a empresa também não nos chamou para homologarmos nossa rescisão não podemos dar entrada ao nosso Seguro Desemprego”.

O denunciante, que era lotado na comarca de Teresina, ainda clamou por ajuda. “Por favor, quem puder nos ajudar, nos ajude. Alguns dos ex-funcionários do interior já falam até em suicídio”.

Durante o primeiro semestre deste ano, a SERGESEG foi denunciada várias vezes por funcionários devido atrasos nos salários e no ticket alimentação. Justamente por conta de atrasos no pagamento de vigilantes lotados no Fórum do município de Inhuma o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Erivan Lopes, abriu processo administrativo no mês passado para investigar as possíveis irregularidades.

Procurado, o Tribunal de Justiça, através de sua assessoria de comunicação, emitiu nota sobre o caso, confira:

O Presidência do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) esclarece que em razão dos atrasos da empresa SERGESEG no pagamento dos trabalhadores, o TJ-PI demandou a empresa no CEJUSC do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PI) e os pagamentos pelo Tribunal estão sendo efetuados de acordo com as determinações do Desembargador Manoel Edilson, daquela Corte. Informa ainda que o contrato com a referida empresa já foi rescindido.

A empresa de vigilância SERGESEG não foi encontrada para responder às acusações.

PortalAZ


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas