Facebook e Google tentam criar máquinas capazes de vencer humanos no jogo Go imprimir publicado em: 27 / 01 / 2016

FacebookAs melhores inteligências artificiais já superaram, há muito tempo, os melhores jogadores de xadrez humanos. No entanto, ainda há um jogo de estratégia em tabuleiro no qual os humanos ainda são superiores às máquinas. Trata-se do jogo oriental Go, similar em vários aspectos ao xadrez, criado na China há mais 2,5 mil anos. Só que esta superioridade não vai durar muito tempo, no que depender de Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook.

A empresa investe pesado em inteligência artificial para aplicar em seus produtos e serviços. A equipe traçou como meta permitir que as máquinas dominassem o jogo, que permite trilhões de movimentos diferentes.

“Cientistas estão tentando ensinar Go a computadores por 20 anos. Estamos chegando perto e, nos últimos seis meses, construímos uma inteligência artificial capaz de fazer movimentos em 0,1 segundo e ainda assim ser tão boa quanto outros sistemas anteriores que demoraram anos para serem construídos”, explicou Zuckerberg em sua página oficial do Facebook.

Para chegar a este resultado, a inteligência utiliza uma técnica baseada em busca que projeta todos os movimentos possíveis conforme o jogo progride, unido a um sistema de reconhecimento de padrões construído pela equipe de visão computacional da empresa.

Google e Microsoft também querem vencer humanos em Go

Curiosamente, o Facebook não é a única empresa a tentar desbancar a predominância humana sobre a máquina no Go. O Google também tenta o mesmo, assim como a Microsoft.

No caso do Google, o projeto é tocado pelo laboratório DeepMind, que é, na verdade, parte do “império” Alphabet, e não uma parte do Google (que, lembrando, é outra parte da Alphabet). Há 150 pessoas trabalhando em uma inteligência artificial capaz de vencer os maiores talentos no Go.

Já na Microsoft, o projeto faz parte do laboratório Microsoft Research, que acabou desenvolvendo um jogo para a Xbox Live chamado “Path of Go” baseado nas pesquisas em inteligência artificial e Go.

Por quê?

O professor Sean Holden, da Universidade de Cambridge, explica à BBC que jogos são “essencialmente um problema de busca. A inteligência artificial precisa procurar uma sequência de ações que irão levá-la do início do jogo até uma posição vitoriosa. Esta ideia pode ser útil em vários cenários de inteligência artificial.

“A Inteligência artificial se resume a ter um robô e como fazê-lo concluir uma tarefa. Você precisa que ele encontre uma sequência de movimentos de onde ele está até onde ele precisa estar”, explica Holden.

Olhar Digital


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas