Google muda busca no celular para mostrar doenças relacionadas a sintomas pesquisados imprimir publicado em: 06 / 02 / 2017

googleO Google anunciou nesta segunda-feira (6) que vai mudar as buscas feitas no celular para mostrar doenças e informações relacionadas a elas quando os usuários buscarem por sintomas. Ou seja, se alguém pesquisar por “dor no joelho”, os resultados mostrarão quais são as doenças que podem causar esse tipo de mal estar. A iniciativa é resultado de uma parceria entre a empresa e o Hospital Israelita Albert Einstein, iniciada anteriormente, em março de 2016.

A nova modalidade de buscas funcionará apenas no smartphone. Segundo Berthier Ribeiro-Neto, diretor do centro de engenharia do Google na América Latina, que fica em Belo Horizonte (MG), as informações são exibidas em cartelas, acima dos outros resultados da busca, que continuam a ser dispostos em links. Esses cartões mostram características das doenças, a ocorrência delas e até os métodos de tratamento ou os primeiros socorros.

Segundo o Google, foram compilados entre 150 e 200 sintomas, que apontam para cerca de 400 doenças ou condições. O Brasil é apenas o segundo país a receber a novidade — o primeiro foi os Estados Unidos. No Brasil, alguns dos sintomas mais buscados no Google são garganta inflamada, dor de cabeça, dor nas costas, dor no peito e taquicardia.

A mudança no motor de busca para implantar a novidade foi feita por causa do volume de pesquisas feitas sobre saúde uma a cada 20 e pela forma como elas são feitas 1% de todas as buscas gerais são sobre sintomas.
Google passa a mostrar doenças relacionadas e informações sobre elas quando usuário fizer buscar por sintomas.

buscaPesquisa saudável

“Conversando com o pessoal do Einstein, pois boa parte trabalha no Pronto Socorro, o Google ouviu que o jeito mais natural de trabalhar é diferente. Não é começando pela doença, pois as pessoas contam os sintomas”, diz Alessandro Germano, líder de parcerias no Google Brasil.

“A internet é um grande e vasto oceano, com informações de alta qualidade e de qualidade mais duvidosa”, afirma Germano. “A gente quis criar uma busca mais saudável.”

Apesar de o Google, com a criação de um algoritmo, já conseguir capturar informações para ligar doenças aos sintomas buscados a partir dos vários documentos da internet, faltava fechar algumas lacunas. É aí que entra o Albert Einstein.

“Esse tipo de solução não tem como ser implementada sem uma autoridade médica de alta reputação”, explica Ribeiro-Neto. O hospital atestou as ligações entre alguns sintomas e doenças não captados pelo Google e a prevalência de algumas enfermidades.

“[A solução] permite que o paciente entenda sua posição e se deve procurar um médico especialista ou um generalista correto”, comenta Sidney Klajner, presidente do Einstein. “Quando a gente coloca o paciente no centro, está contemplado o interesse do hospital, da operadora, de quem fornece os insumos.”

Com a parceria, assim que uma nova enfermidade ou doença surgir, o sistema é atualizado. Isso já aconteceu no ano passado com Chikungunya e o Vírus da Zika.

Carnaval

Para a o período do Carnaval, a busca do Google vai exibir informação sobre contracepção, como, por exemplo, os diversos métodos (desde a camisinha até pílulas anticoncepcionais) e a eficiência de cada um deles.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas