Governo do Piauí tem que cortar R$ 200 milhões por mês imprimir publicado em: 31 / 03 / 2017

merlong solano

Merlong Solano

O Governo do Estado terá que cortar R$ 200 milhões por mês para se adequar à realidade financeira atual. O secretário de Governo, Merlong Solano, confirmou o impacto na contenção de gastos para garantir o equilíbrio financeiro do Estado. Além dos mais, o governo não pode extrapolar os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e nem ficar inadimplente, sob pena de perder os empréstimos e convênios. Todos os contratos devem ser revisados num prazo de 60 dias.

A equipe econômica confirma que a situação financeira do Estado não é boa. Os empréstimos têm sido a salvação. E o governo também não quer comprometer o pagamento da folha, para isso adotou medidas saneadoras para garantir o equilíbrio como o controle de despesas na área meio e custeio. “Temos que honrar os compromissos e ainda ter dinheiro para investimentos”, advertiu o secretário Merlong Solano.

Para garantir os investimentos, o governo está fazendo parcerias com a iniciativa privada, de forma a aquecer a economia e gerar emprego e renda. Essas medidas visam a aumentar os investimentos no setor público.

O controle das despesas na área meio e no custeio estão sendo monitoradas pela Secretaria de Fazenda. Uma das primeiras medidas é reduzir todos os contratos com o Estado num prazo de 60 dias. A Sefaz já vai reduzir o repasse para cada um dos órgãos do governo, dentro do que foi estabelecido. Os cortes variam de 10% a 30%.

No ano passado, o Governo já tinha determinado uma redução de gastos na ordem de 20%. Houve ainda um ajuste fiscal já implementado este ano. Segundo o secretário, foram feitos ajustes na máquina administrativa e enxugado gastos em geral. Somente as áreas consideradas estratégicas não foram afetadas.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas