Governo faz mais trocas na CCJ para salvar Temer de 2ª denúncia imprimir publicado em: 03 / 10 / 2017

TemerO Palácio do Planalto promoveu nesta terça-feira (3) mais uma troca na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para salvar o presidente Michel Temer e seus ministros da denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

O Partido da República (PR) tirou da vaga de titular o deputado Jorginho Mello (SC), que havia votado contra Temer, e colocou em seu lugar o suplente Delegado Edson Moreira (MG), que, em plenário, votou a favor do presidente.

A saída de Mello já estava prevista. O Planalto queria tirar não só ele como o deputado Expedito Netto (PSD-RO), que também votou contra Temer.

O líder do PR, José Rocha (BA), negou que a troca tenha sido um pedido do governo. Afirmou que apenas atendeu pedido de Jorginho Mello.

À Folha, Mello disse que José Rocha que pediu sua saída.

“Fui substituído porque voto para seguir o processo. O líder quer contemporizar e eu não quero criar polêmica. Mas não pedi para sair, o governo que me tirou”, afirmou o deputado.

Partidos do centrão, inclusive o PR, cobram que o governo cumpra o que prometeu à época da primeira denúncia: a liberação de cargos e de emendas.

Como a Folha mostrou no domingo (1º), deputados também têm pedido a saída do ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo).

No dia 26 de setembro, o deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), que havia votado a favor de Temer na primeira denúncia, voltou a ser titular da comissão –estava como suplente.

CORPO A CORPO

Nesta terça, o presidente Michel Temer passará o dia recebendo deputados no Palácio do Planalto.

A lista divulgada pelo governo tem 42 parlamentares. No entanto, alguns já avisaram que não irão. É o caso do líder do PP, Arthur Lira (AL), que disse apenas ter pedido uma audiência para a bancada de Roraima.

“A liderança só pediu. Não vou”, afirmou o parlamentar.

Folha


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas