Grupo faz protesto em Teresina contra reforma da previdência imprimir publicado em: 05 / 12 / 2017

protestoCerca de mil pessoas, segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), participaram de um ato público nesta terça-feira (5) no Centro de Teresina em protesto à votação da reforma da previdência, proposta pelo governo federal. A Polícia Militar orientou o trânsito no local e informou que no momento em que a PM acompanhou o ato, já em seu encerramento, cerca de 100 pessoas participavam do ato.

A contração teve início às 8h na rua Areolino de Abreu e encerrou por volta de meio dia, na avenida Frei Serafim. Segundo a CUT, participam do ato os sindicatos dos comerciários, rodoviários, da construção civil e outros. O foco são críticas à pauta da reforma da previdência que o governo federal tenta levar para votação ainda este ano.

“Estamos concentrando na reforma porque é o que está na agenda. Nossa principal critica é a idade para aposentar, que é muito próxima da expectativa de vida da população. Tem gente que vai morrer e não vai se aposentar. Outra coisa é a contribuição que aumentou para 15 anos ininterruptos. Quem pode garantir que o trabalhador não vai perder o emprego?”, questiona o presidente da CUT, Paulo Bezerra.

Os manifestantes partiram fechando o cruzamento da rua Areolino de Abreu com a rua Rui Barbosa. Os líderes do protesto usaram carros de som para convocar a população a aderir ao protesto. Os ônibus pararam enfileirados a partir do local de início da caminhada, por ordem do sindicato dos motoristas de ônibus.

O grupo seguiu para o Palácio da Cidade de Teresina, cobrando da prefeitura soluções sobre moradias para famílias de baixa renda. “Nosso foco é a previdência, mas não podemos deixar de lado outras pautas importantes para a população em geral”, informou.

pmt

O grupo seguiu pelas ruas do Centro até o Palácio de Karnak, onde também mandou mensagens ao governo do estado. Em seguida, partiram para a praça da Liberdade e para a avenida Frei Serafim, onde por volta de meio dia o público participante dispersou.

 

Protesto na UFPI

Os técnicos administrativos da Universidade Federal do Piauí (UFPI), que estão paralisados desde o dia 10 de novembro, aderiram à greve geral desta terça-feira (5) e fecharam todas os portões de acesso da instituição.

De acordo com Francisco Leite, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da UFPI, a categoria protesta contra a reforma da previdência, além de sair em defesa do ensino superior público de forma gratuita e em defesa dos hospitais universitários.

“Temos também nossas pautas locais que são: mobilidade, transferência de profissional e a construção de um posto de saúde para atender a comunidade universitária. Precisamos também melhorar o restaurante da universidade”, comentou.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas