Hamilton põe mão na taça com vantagem ‘inacreditável’ na F1 imprimir publicado em: 08 / 10 / 2017

HamiltonNem em seus maiores sonhos Lewis Hamilton poderia imaginar que, faltando quatro etapas para o fim da temporada, estaria com uma vantagem de 59 pontos na liderança do campeonato. Neste domingo, em Suzuka, o inglês se aproveitou de mais um problema com a Ferrari de Sebastian Vettel, e venceu o GP do Japão, o oitavo triunfo na temporada. Entrevistado após a prova, o piloto da Mercedes #44 revelou que esperava uma disputa acirrada com o alemão pela vitória e valorizou a confiabilidade de sua flecha de prata.

– É meio que inacreditável pensar que estamos onde estamos. Eu estava empolgado em ter uma boa corrida contra Seb aqui, como tive na última prova, mas obviamente ele tem tido uma incrível infelicidade. Em um mundo como o de hoje, na Fórmula 1, é muito sobre confiabilidade – toda a performance, e não só a velocidade na pista. A equipe mostrou há muitos anos que temos uma plataforma sólida. Nós somos líderes nessa área, então, obrigado a todos na fábrica, me fornecendo um carro com o qual posso usar minha habilidade.

O resultado no Japão colocou Hamilton ainda mais próximo do quarto título mundial na Fórmula 1. O inglês pode, inclusive, se sagrar campeão já no GP dos EUA, daqui a duas semanas, em Austin. Para isso, ele terá que vencer a corrida e torcer para que Vettel não passe do sexto lugar, porém, com 100 pontos ainda em jogo nas quatro provas restantes, o tricampeão da Mercedes prefere manter os pés no chão.

– Ainda há um longo caminho para percorrer, 100 pontos (a serem disputados), qualquer coisa pode acontecer na vida e espero que continue assim. Eu só poderia ter sonhado com uma diferença assim. A Ferrari impôs um desafio tão grande ao longo do ano. Minha equipe fez um trabalho fenomenal, a confiabilidade é tão importante. Eles são tão meticulosos nisso, e é por isso que temos os resultados e a confiabilidade que temos.

Max Verstappen foi o único a desafiar Hamilton em Suzuka. Depois de ultrapassar Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel ainda na primeira volta, o holandês iniciou uma perseguição ao rival da Mercedes, que culminou em uma aproximação no final da corrida. O inglês, porém, conseguiu ser ágil com os retardatários, e colocou Fernando Alonso entre ele e o prodígio da RBR, dificultando as ações do carro #33. Questionado sobre a disputa, Lewis afirmou que viu Max “grande nos retrovisores”.

– Eu estava tentando administrar o ritmo e os pneus. Foi o mais quente que a pista esteve em todo o final de semana, e sabendo que as RBR e Ferrari estavam rápidas na corrida foi muito importante naqueles momentos iniciais tomar conta dos pneus. O safety car virtual no final fez eu perder muita temperatura nos pneus e aquecê-los de novo não foi fácil. Depois fiquei preso atrás de Alonso e Massa. Nunca vi seu carro (Verstappen) tão grande nos retrovisores, ele ficou bem perto durante algumas voltas.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas