Heráclito comenta apelido: “Honra ser chamado de Boca Mole” imprimir publicado em: 19 / 12 / 2016

HeraclitoNesta segunda-feira (19/12), o deputado federal Heráclito Fortes (PSD) realiza o tradicional café da manhã para a imprensa teresinense, onde faz um balanço de sua atividade política e legislativa durante o ano. Na ocasião, o parlamentar comentou a respeito do apelido que recebeu ao ser citado na delação da empreiteira Odebrecht. “Pra mim foi uma honra  ser chamado de ‘Boca Mole’. Tancredo Neves também foi chamado assim no passado”.

A Odebrecht alega em sua delação premiada durante investigação da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que fez pagamentos a diversos parlamentares para que cuidassem de seus interesses no Congresso. Para identificar deputados, senadores e demais autoridades, a empresa usava uma série de codinomes na hora de realizar pagamentos. De acordo com o ex-vice-presidente de relações institucionais da empresa Cláudio Melo Filho, entre os codinomes, três piauienses aparecem.

São eles: os deputados federais Paes Landim (PTB) e Heráclito Fortes (PSB), com os respectivos apelidos “Decrépito” e “Boca Mole”; e o senador Ciro Nogueira (PP), identificado com pelo menos três apelidos “Cerrado”, “Pequi” e “Helicóptero”. Segundo a reportagem, o “Decrépito” teria recebido R$ 100 mil; o “Boca Mole”, R$ 200 mil e o “Pequi”, R$ 1,6 milhão.

CRÍTICAS A WELLINGTON DIAS

Na ocasião, o parlamentar também fez criticas ao governador Wellington Dias (PT). “O governo do Wellington deve estar muito bem. Em plena época de Natal ele viajou para discutir assuntos do Piauí na Europa. Sendo que é uma data universal que todos estão se preparando para o Papai Noel. Não sei com quem ele foi conversar. Espero que pelo menos tenha tirado uma foto com o bom velhinho”, disse Fortes, criticando ainda o recente pedido de empréstimo que o governador teve aprovado pela Assembleia Legislativa do Piauí.

“Um empréstimo de mais de 900 milhões de reais, pra quê isso? Qual o retorno disso? Não vejo nenhum”, disse.

O deputado discorda ainda a respeito da proposta que limita os gastos públicos no Estado em 10 anos. “Eu queria saber o que a senadora Regina Sousa (PT) pensa sobre isso, já que ela foi contra a PEC do Governo Federal. A proposta da PEC que limita os gastos feita pelo governo  federal é realmente necessária, já essa não sei não viu”, contou.


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas