Herói nos pênaltis, Cássio preferiu não estudar cobradores imprimir publicado em: 29 / 03 / 2018

cassioHerói da classificação do Corinthians à final do Paulistão, o goleiro Cássio disse não ter estudado os batedores de pênaltis do São Paulo antes da decisão desta quarta-feira, quando defendeu duas cobranças.

O camisa 12 do Timão pegou os chutes de Diego Souza e Liziero, garantindo o a equipe na decisão do campeonato estadual contra o Palmeiras.

– Eu não gosto de ver pênaltis antes do jogo, a gente perde um pouco da concentração, na minha opinião. Eu já não vejo tanto. Mas, quando acabou o jogo, o Mauri (Lima, preparador de goleiros) me passou alguns dados, algumas coisas, a grande maioria dos cantos foi ele quem me passou. Mas muitas vezes é no “feeling”, né? Você vai e na hora sente que é aquele canto e vai para tentar defender – explicou Cássio.

– Fui feliz, acho que isso é um trabalho em conjunto. Muitas vezes só se fala do goleiro, o CIFUT não aparece, mas são pessoas que contribuem muito para a gente fazer o melhor – complementou o goleiro.

Cássio ainda minimizou o reencontro com Diego Souza. Ele ficou marcado por uma defesa nas quartas de final da Libertadores de 2012, quando evitou um gol do meia em jogada cara a cara.

– O Diego é um cara super bacana, trabalhei com ele quando subi para o profissional do Grêmio. Isso é mais questão da imprensa e da torcida, que pega no pé dele quando ele joga aqui.

Indagado se as polêmicas com o São Paulo antes do segundo jogo da semifinal serviram como motivação ao Corinthians, Cássio negou.

– Se você leva isso para dentro de campo, fica com raiva, irritado e acaba sendo ruim, a gente faz coisas erradas e não fica concentrado. Se falou, a gente sabia de muitas coisas que aconteceram, mas o time manteve a concentração. O importante é manter a humildade, sabíamos que seria um jogo difícil. Teve organização, em nenhum momento achamos que seria fácil. Martelamos, martelamos e conseguimos fazer o gol e, nos pênaltis, conseguir a classificação – analisou.

Para o goleiro, não há favorito na final do Paulistão. Porém, ele destacou que o Palmeiras terá a vantagem de decidir o título diante de sua torcida.

O camisa 12 vai em busca de seu oitavo título pelo Corinthians. Em seis anos de clube, ele já conquistou dois Paulsitas (2013 e 2017), dois Brasileiros (2015 e 2017), uma Recopa Sul-Americana (2013), uma Libertadores (2012) e um Mundial (2012).

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas