Homicídios por arma de fogo no Piauí aumentaram 246% em 10 anos imprimir publicado em: 25 / 08 / 2016

O estudo Mapa da Violência 2016 traz um dado preocupante para o Piauí no que diz respeito à criminalidade. O índice de homicídios por arma de fogo no Estado saiu de 131 em 2004 para 454 em 2014, um aumento de 246,6% em 10 anos. Somente entre 2013 e 2014, as mortes por arma de fogo do Estado aumentaram 21,7% e as maiores vítimas deste tipo de crime são homens negros que têm entre 15 e 29 anos.

O primeiro estudo do Mapa da Violência foi publicado em 2005 para avaliar o número de mortes no Brasil com causas diversas, que vão desde o homicídio e o suicídio, a acidentes. O levantamento usa dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério da Saúde coletados desde 1980 até 2014 para auxiliar, dentre outros, no planejamento de políticas públicas que previnam o aumento desses índices.

dados

De acordo com a edição de 2016 do levantamento, a taxa de homicídios no Piauí saiu de 4,4 por 100 mil habitantes em 2004, para 14 por 100 mil em 2014, um aumento de 215,2% no período de 10 anos. Entre 2013 e 2014, esta variação foi de 19,6%.  Isso levou o Estado a subir da 26ª para 22ª posição no ranking nacional das taxas de mortes por arma de fogo. Apesar disso, o Piauí não tem nenhum município incluído na lista dos 150 com maior índice de violência por arma de fogo do país.

Vítimas

O Mapa da Violência mostra que os homens são a grande maioria das vítimas de homicídio por arma de fogo no Piauí, representando 94,3% do total. A taxa de feminicídio (crimes em que a vítima é uma mulher) é de 26%. Com relação à faixa etária, 1,4 a cada 100 mil habitantes são vítimas que têm entre um e 14 anos; 34,1 por 100 mil têm entre 15 e 29 anos; 12,5 por 100 mil têm entre 30 e 59 anos; e 2,5 por 100 mil habitantes têm 60 anos ou mais.

Com relação à cor, a maioria das vítimas de homicídio por arma de fogo no Piauí são pessoas negras. De acordo com o Mapa da Violência, em 2003, 120 negros foram assassinados no Estado. Em 2014, esse número chegou a 369, fazendo a taxa de morte por arma de fogo subir de 5,4 por 100 mil habitantes para 15,3 por 100 mil.

Já com relação aos brancos, 17 foram mortos por arma de fogo em 2003 e 26 em 2014. A variação da taxa saiu de 2,5 por 100 mil habitantes para 3,3 por 100 mil respectivamente nestes dois anos.

dados

Teresina

Outro dado preocupante diz respeito à Capital piauiense, que apresentou, segundo o Mapa da Violência, um aumento de 256,7% de 2003 a 2014. Em 2003, 97 pessoas foram vítimas fatais de arma de fogo em Teresina, e em 2014 este número já estava em 346. A taxa subiu de 12,7 por 100 mil habitantes em 2003 para 40,7 por 100 mil em 2014, uma variação de 220,4% em 10 anos. Com este índice, a Capital subiu de 23ª para a 12ª no ranking nacional das taxas de morte por armas de fogo.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Paixao

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas