Intel processa chineses que conseguem burlar a proteção antipirataria do 4K imprimir publicado em: 05 / 01 / 2016

intelDuas empresas sem relações aparentes se uniram para processar uma companhia chinesa por causa de pirataria. O caso colocou de um lado Intel e Warner Bros. e, do outro, a LegengSky.

O problema é uma tecnologia criada pela LegendSky que facilita a disseminação de material pirateado em 4K. A Intel é dona da empresa Digital Content Protection (DCP), que por sua vez vende um esquema de criptografia chamado HDCP. O HDCP coloca rastros em conteúdo 4K para que fique mais fácil descobrir quem o pirateou, e é aí que entram os chineses.

A LegendSky vende uma linha de produtos chamada HDFury que é responsável por anular a tecnologia da Intel. Sempre que a proteção do HDCP é atualizada, a empresa chinesa atualiza seu software, colocando o material em 4K tão “pirateável” quanto qualquer outro.

A Intel acionou a Justiça através de um tribunal novaiorquino. Na ação, divulgada pelo TorrentFreak, a empresa admite que os chineses superaram sua criptografia e dizem que isso é prejudicial à saúde da DCP, já que a empresa vive só para vender esse tipo de proteção – se o mercado perceber que ela é inútil, a Intel perde um de seus braços.

Já a Warner entrou nessa porque é detentora de uma base grande de material em 4K protegido por direitos autorais. Neste ano a empresa planeja lançar dezenas de filmes em 4K e espera conseguir mantê-los longe dos piratas. Para isso, ela e a Intel precisam convencer a Justiça a tirar os chineses do mercado e torcer para ninguém mais aparecer com uma tecnologia semelhante.

Olhar Digital


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas