Investimentos em Segurança no Piauí crescem mais de 10 vezes imprimir publicado em: 30 / 12 / 2017

2017 vai se despedindo, mas deixa pra o Piauí o legado de ser um dos anos mais importantes, no que diz respeito aos investimentos aplicados no setor de Segurança Pública. A aquisição de armas e equipamentos, entrega de viaturas para distritos das mais variadas microrregiões do estado, somados às reformas e construção de novas delegacias e batalhões de polícia, foram a tônica dos últimos doze meses.

No bairro Porto Alegre, zona sul de Teresina, a inauguração do 17º Batalhão da Polícia Militar trouxe uma nova realidade para a população dos bairros mais próximos à saída sul da capital, como Vila Irmã Dulce, Eduardo Costa, Santa Clara, Parque Sul, Esplanada, além das cidades de Curralinhos e Demerval Lobão.

Dias

Governador Wellington Dias

Com um efetivo de 60 policiais atuando apenas naquela região, o trabalho desenvolvido pela Polícia Militar começa a gerar frutos junto à população. “A presença da Polícia inibe a ação dos criminosos. Quanto mais policiais atuando junto a nossa comunidade, melhor para a gente. Só temos o que comemorar”, ressalta o estudante José Rodrigues.

Igualmente importante, a construção da nova Central de Flagrantes do município de Parnaíba melhorou a qualidade do atendimento das ocorrências registradas não apenas naquele município, mas também em cidades vizinhas, como Luís Correa Cajueiro da Praia, Buriti dos Lopes, Bom Princípio, Caxingó, Caraúbas, Cocal e Cocal dos Alves, beneficiando uma população de 266.607 habitantes.

Foram aplicados R$ 280 mil na construção do 17º Batalhão, enquanto a obra da Central de Flagrantes de Parnaíba requereu aporte financeiro de R$ 853 mil. No reforço ao meio ambiente, o Piauí ganhou a Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente, que passou a atuar na apuração de crimes ambientais e substituiu a Delegacia do Silêncio.

Os investimentos em infraestrutura prisional fortaleceram o sistema carcerário piauiense, o Estado inaugurou, somente em 2017, a Casa de Detenção de Campo Maior, com 160 vagas e vai entregar em 2018 a Cadeia Pública de Altos, que terá 603 vagas.

Além destas vagas, o governador Wellington Dias autorizou a construção de uma penitenciária em Oeiras, com capacidade para 196 detentos e um outro centro de detenção no município de Bom Princípio, esse com 334 vagas.

Equipamentos e novas viaturas

Se comparado a 2014, o Governo do Estado investe, hoje, cerca de 12 vezes mais em segurança pública. Estatísticas apontam que, o Governo do Piauí aplicou R$ 218,00 (por habitante) em segurança pública, em 2017, contra R$ 18,00 em 2014. Os números contribuem para manter o estado entre as três unidades da federação com menores índice de homicídios.

“Parte significativa destes investimentos foi aplicada na aquisição de armas e equipamentos. Este ano, a Secretaria de Estado da Segurança (SSP) realizou a maior compra de armas da história do Piauí, com um investimento que alcançou R$ 2,1 milhões”, comemora o secretário de Estado da Segurança Pública, Fábio Abreu.

Ao todo, 760 novas pistolas, 12 espingardas calibre 12, 10 fuzis 556 e 12 metralhadoras foram adquiridas. O armamento se soma aos 180,5 mil cartuchos comprados pela secretaria apenas para a Polícia Civil, e 451 coletes balísticos.

Também foram adquiridas 46 novas viaturas para 26 municípios do interior e delegacias especializadas de Teresina, como Greco, Polinter, Delegacia de Homicídios, Delegacia do Silêncio, Núcleo de Inteligência e Gerência de Policiamento do Interior.

Outros R$ 1,2 milhão foram aplicados na compra de três aparelhos de infravermelho para o setor de Perícia Técnico Científica do Piauí nas cidades de Picos, Parnaíba e Teresina, e um espectroscópio RAMAN para o Instituto de Criminalística em Teresina.

Para o sistema prisional, 21 viaturas foram adquiridas, todas adaptadas para cela, sistema de câmeras de segurança e capacidade para transportar até oito detentos. Também foram adquiridos sistemas com mais de 300 câmeras de monitoramento, que estão auxiliando os agentes penitenciários no trabalho de segurança nos maiores presídios do estado.

No que diz respeito à aquisição de armamento e munições, a Sejus adquiriu, em 2017, 500 pistolas .40; carabinas calibre .40; espingardas calibre 12; granadas; munição de borracha e letal; cartuchos; 380 coletes balísticos; 1.000 cintos de guarnição; 1.000 coturnos táticos; capacetes, caneleiras, cotoveleiras; e outros materiais para reforçar a proteção dos agentes.

Concursos e valorização de policiais

Atendendo a demanda da população, o Governo do Piauí realizou concurso público com 400 vagas para a Polícia Militar e nomeou 21 novos delegados de Polícia Civil.

A valorização profissional também foi pauta da segurança em 2017. A SSP pagou R$ 112,3 mil para 455 policiais civis e R$ 271,2 mil para 1.128 policiais militares, em bônus por apreensão de armas. Outra conquista do setor, foi a equiparação dos auxílios-alimentação de policiais civis e militares, no valor de R$ 330,00.

Sistema penitenciário piauiense investe em ressocialização

Em outra frente, o Governo busca ressocializar os detentos do sistema penitenciário através de programas de educação. Este ano, foram matriculados 1.613 presos para o período letivo. O número significa que 36,2% de pessoas privadas de liberdade estão em sala de aula estudando. O Piauí se estabelece, portanto, com cerca de três vezes mais presos estudando do que o registrado na média nacional, que é de 12,3%. Além disso, de 2015 a 2017, o crescimento de reeducando, estudando nos presídios do Piauí foi de quase 300%.

Os investimentos em educação se somam a promoção de 275 novos agentes penitenciários. “São investimentos importantes para a qualificação do sistema prisional do estado. Estamos suprindo parte da carência de servidores e formando novos agentes para as penitenciárias que estão sendo e irão ser construídas, como a Cadeia Pública de Altos”, pontua o secretário da Justiça, Daniel Oliveira.

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas