Justiça decide se condutor que provocou morte de irmãos vai a júri imprimir publicado em: 21 / 10 / 2016

audienciaA Justiça decide nesta sexta-feira (20) se Moaci Moura da Silva, acusado de ter provocado a morte dos irmãos Bruno Queiroz e Junior Araújo, será julgado ou não por um júri popular. A audiência de instrução e julgamento de Moaci acontece no Fórum Civil e Criminal  de Teresina e deve ouvir 13 testemunhas, sendo seis de acusação e sete de defesa.

O promotor de justiça Ubiraci Rocha, responsável pela acusação, explicou o que será avalidado na audiência de instrução. “Na prática o que vai se discutir é se o homicídio foi doloso ou culposo, porque se ele foi doloso, aí a juíza já decide se ele será submetido a julgamento pelo tribunal do júri. Caso fique caracterizado que não foi doloso, ele sai da competência do júri”, contou.

colisaoA colisão que matou os dois rapazes ocorreu na noite do dia 26 de junho. Conforme laudos periciais, Moaci Moura dirigia em alta velocidade (aproximadamente 100km/h), estava alcoolizado e invadiu o sinal vermelho quando colidiu contra o carro em que estavam as vítimas. Como resultado do acidente, Bruno Queiroz morreu na hora, seu irmão Júnior Araújo teve morte cerebral três dias depois e apenas o jornalista Jader Damasceno sobreviveu. Todas as vítimas são ligadas ao movimento cultural Salve Rainha.

“Serão ouvidas seis testemunhas de acusação e sete de defesa. Também será ouvida a vítima que sobreviveu, Jader Damasceno e ao final o réu também será ouvido”, falou.

Ainda de acordo com o promotor, a juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Teresina, já providenciou que a audiência seja em um local em que mais pessoas possam assistir.

“Nessa audiência se espera que, dada a gravidade do crime, haja uma quantidade muito grande de pessoas, tanto que a audiência não será nas salas de que comumente é feita, o que se espera é que seja realizada no tribunal de júri, para que a maior quantidade de pessoas possa estar presente porque é uma audiência pública e aberta a todos”, disse.

O promotor acredita que a tese de homicídio doloso será acolhida por conta das provas e testemunhas. “Eu não tenho nenhuma dúvida que ao termino da audiência, pelo que consta até agora nos autos e o que foi colhido inclusive por ocasião do inquérito policial, o Ministério Público (MP) conseguirá demonstrar o que houve foi um homicídio doloso”, finalizou.

A defesa de Moaci Moura foi procurada para comentar o caso, mas não foi encontrada.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Paixao

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

últimas