Justiça determina suspensão da greve de rodoviários em Teresina imprimir publicado em: 31 / 01 / 2017

busA desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região – Piauí, Liana Chaib, determinou, em caráter liminar, o reajuste nos salários dos rodoviários de Teresina e a imediata suspensão da greve, até a deliberação final do TRT-PI, sob pena de ser decretada a ilegalidade do movimento. A greve teve início na segunda-feira (30) e tem prejudicado cerca de 200 mil passageiros na capital.

Na mesma decisão, a desembargadora estipulou multa de R$ 20 mil por dia em caso de descumprimento da liminar por parte do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro) com o bloqueio das contas bancários do Sindicato no valor da multa e também das contas bancárias do presidente.

 Segundo a desembargadora Liana Chaib, ficou comprovado o descumprimento da decisão judicial que determinava a circulação de 70% da frota de ônibus coletivos em horários de pico e de 60% nos demais horários durante a greve.

De acordo com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), às 10h de segunda-feira (30) havia apenas 19,68% da frota operante em circulação, e às 14h40 apenas 11,5% de um total de 442 ônibus, configurando o descumprimento da decisão.

Reajuste de 8,5%

A desembargadora Liana Chaib determinou a imediata implantação do reajuste de 8,5% nos salários e no plano de saúde dos motoristas, cobradores e fiscais/despachantes, de forma linear. Quanto aos tickets alimentação, a magistrada adotou a proposta feita na audiência de conciliação ocorrida no dia 27 de janeiro e aceita pelas partes, com o seguinte escalonamento: 8% de reajuste para os motoristas, 10% para cobradores e fiscais e 12% para os demais empregados.

 Já está no TRT/PI a ação de dissídio coletivo dos trabalhadores do sistema de transporte coletivo de Teresina. Antes de ser submetida à decisão do Pleno, o Tribunal vai realizar nova audiência de conciliação. Caso as partes não cheguem a um acordo, o dissídio coletivo vai para votação em plenário, que dará a decisão final sobre o reajuste salarial da categoria. Até lá, fica estabelecido o aumento concedido pela desembargadora Liana Chaib.

O Sintetro disse que já recebeu a notificação judicial, mas apenas após a assembleia que será realizada na tarde de terça-feira (31) é que a categoria vai decidir se aceita o reajuste, já rejeitado pelos trabalhadores na sexta-feira passada. Um motorista ganha R$ 1.778, enquanto um cobrador recebe R$ 1.097.

“Queremos 10% de reajuste salarial, além da unificação do ticket e melhoria do plano de saúde. As empresas conseguiram 20% com o aumento da tarifa, nós estamos pedindo metade disso e eles estão resistentes. A greve no transporte público não é bom para ninguém e infelizmente a sociedade é quem mais paga por este sistema”, declarou o Francisco das Chagas.

Portaldaclube


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Vale Vermelho

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas