Lancuna se aborrece, coloca cargo à disposição e critica árbitro após 2 a 2 imprimir publicado em: 01 / 02 / 2017

Nivaldo LancunaA estreia do Picos no Campeonato Piauiense em casa, no Helvídio Nunes, foi com o empate em 2 a 2 com o River-PI. E o técnico Nivaldo Lancuna disse que vai sentar com a diretoria para saber se fica ou não no comando do Zangão na sequência do estadual. Na entrevista coletiva, o técnico relatou que “escutou besteiras” ao longo da partida e confessou “não ter mais idade” para esse tipo de comportamento. Lancuna não quis citar o que ouviu ou de quem partiu as críticas, mas se mostrou bastante aborrecido com a situação. O presidente do Picos, Rodrigo Lima, defendeu a permanência de Lancuna.

– Eu vou conversar com a diretoria, vou conversar primeiro porque não sei se fico. Essa é a realidade – disse Lancuna, ao ser questionado sobre como seria a semana de treinos para a segunda rodada. Em seguida, emendou:

– São coisas que… Estou com idade muito avançada. Procuro vestir a camisa do clube com amor, carinho e dedicação. Não estou com mais idade de escutar besteira. Se acham que tem uma pessoa melhor que pode assumir e trazer melhor coisa, tem que deixar. Ou deixar a outra trabalhar. Vamos deixar para lá e conversar. Sou um cara que vibra, mas não gosto de escutar certas coisas – explicou.

Quando perguntado sobre o desempenho do Picos, Lancuna falou de injustiças.

– Avaliamos que nos faltou um pouco, poderia ser uma equipe mais aguerrida. Aconteceu o que aconteceu. Trabalhamos com integridade, carinho e dedicação. Sou um cara que sofro muito, visto a camisa e acho uma injustiça o que aconteceu. Vou conversar com a diretoria, se ele eles quiserem o cargo, acharem que fui errado com qualquer coisa, o cargo estará nas mãos deles – narrou Lancuna.

No segundo tempo, o Picos jogou melhor depois das mudanças. Entradas de Giso, Felipe e Rian. O time teve um gol anulado de Raphael Freitas e outro de Idelvando. A arbitragem não passou ilesa na fala afiada do técnico.

– Trabalhamos 26 dias, procuramos mexer e ser audaz. Procuramos trabalhar, pois o torcedor paga ingresso. A arbitragem deixou a desejar. Em que? Em tudo. Fizemos cinco gols para valer dois – disse. 

O presidente do Picos, Rodrigo Lima, considerou a fala do treinador como um momento de cabeça quente. Para ele, Lancuna tem o aval da diretoria em continuar o trabalho no Zangão.

– Todo mundo está de cabeça quente, é normal essas cobranças pela exigência do torcedor, principalmente a torcida do Picos. Acontece esses lances. Vamos trabalhar para aperfeiçoar. Lancuna fica, tem o nosso respaldo para continuar. Vamos colher frutos no futuro – comentou Rodrigo Lima.

globoesporte.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas